Onda de calor extremo ultrapassa 50°C, atinge 160 milhões de pessoas e causa diversas mortes nos EUA

Uma onda de calor extrema, classificada por especialistas como excepcional, atinge o oeste dos Estados Unidos. A imprensa local especula que várias mortes podem estar relacionadas aos recordes de temperatura.

"Um calor perigoso vai permanecer no oeste no restante da semana" e deve se propagar para o leste a partir do fim de semana, anunciou na terça-feira (9) o Serviço Meteorológico Nacional (NWS). Mais de 160 milhões de pessoas foram atingidas.

Uma dezena de localidades registraram os dias mais quentes da história, entre elas Las Vegas, onde os termômetros marcaram 48,9°C, no último domingo.

As temperaturas elevadas, que ultrapassaram os 50ºC em algumas regiões, contribuíram para a morte de pessoas em estados como Califórnia, Arizona e Oregon no fim de semana, segundo a imprensa americana.

Quatro homens, com idades entre 33 e 84 anos, morreram em Portland, no norte do país, e um praticante de caminhada, de 50 anos, foi encontrado morto no Grand Canyon, informou o Serviço de Parques Nacionais.

No Vale da Morte, na Califórnia, um motociclista morreu no fim de semana, quando os termômetros marcavam 53ºC. Um dos seus companheiros teve de ser hospitalizado, segundo os responsáveis ??do parque nacional, conhecido como um dos locais mais quentes do mundo. Além disso, incêndios florestais atingem a região, que se prepara para uma temporada intensa de fogo.

No sul do Texas, os alertas foram acionados após a passagem do furacão Beryl, que deixou mais de dois milhões de pessoas sem luz, no momento em que as temperaturas ultrapassam os 35ºC.

A falta de energia "pode ser muito perigosa para a saúde quando acontece num ambiente de calor extremo (principalmente de calor úmido), em que pessoas e prédios dependem de ar condicionado", observou o especialista em clima Daniel Swain.

Eventos climáticos extremos tornam-se cada vez mais comuns devido ao aquecimento global, apontam cientistas.

Continua após a publicidade

Neverland ameaçada

Na Califórnia, alguns residentes estão enfrentando "não apenas o dia mais quente que já viveram, mas também o dia mais quente que os seus pais ou avós já viveram", acrescentou Swain.

As temperaturas tornam a tarefa dos bombeiros particularmente difícil, enquanto vários incêndios estão em curso no "Golden State".

Na região de Santa Bárbara, o incêndio florestal, chamado "Lake Fire", devastou quase 11 mil hectares e causou evacuações. O fogo agora ameaça o rancho Neverland, que por muito tempo pertenceu a Michael Jackson.

Segundo os cientistas, as repetidas ondas de calor são um marcador do aquecimento global ligado às alterações climáticas causadas pela dependência da humanidade dos combustíveis fósseis.

Esta onda de calor surge após o mês de junho já ter sido o mais quente já registrado no mundo, segundo o observatório europeu Copernicus.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Deixe seu comentário

Só para assinantes