Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2012/05/11/conheca-os-integrantes-da-comissao-da-verdade.htm
  • totalImagens: 127
  • fotoInicial: 127
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120511131410
    • Ditadura militar brasileira [28025]; Comissão da Verdade [54574];
    • aplicativo notícias [55626]; Política [28132];
Fotos
O diplomata Paulo Sérgio Pinheiro é um dos sete integrantes nomeados para a Comissão da Verdade; ele é presidente da Comissão Internacional Independente de Investigação da ONU para a Síria, pesquisador do Núcleo de Estudos da Violências da USP e foi secretário de Direitos Humanos do governo Fernando Henrique Cardoso Saeed Khan/AFP Mais
A psicanalista e ensaíasta Maria Rita Kehl é uma das sete integrantes nomeadas para a Comissão da Verdade; ela é autora de "O Tempo e o Cão", vencedor do Prêmio Jabuti de não ficção de 2010. Durante a ditadura militar (1964-1985), foi editora do "Jornal Movimento", um dos mais importantes nomes da imprensa alternativa da época, e sempre esteve ligada a setores esquerdistas da sociedade Zanone Fraissat/Folhapress Mais
O advogado José Carlos Dias é um dos sete integrantes nomeados para a Comissão da Verdade; ele presidiu a Comissão de Justiça e Paz de São Paulo, foi secretário da Justiça de São Paulo de Franco Montoro (1983-1987) e foi ministro da Justiça entre 1999 e 2000, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", Dias defendeu que os dois lados de violações dos direitos humanos sejam analisados pela Comissão -- tanto o dos militares quanto o das guerrilhas de esquerda Luiz Carlos Murauskas/Folha Imagem Mais
Cláudio Fonteles é um dos sete integrantes nomeados para a Comissão da Verdade; ele foi procurador-geral da República de 2003 a 2005, durante o governo Lula. Além disso, foi professor de direito na UnB e na Escola Superior de Magistratura. Aposentou-se da Procuradoria em 2008 Sérgio Lima/Folhapress Mais
Gilson Dipp é um dos sete integrantes nomeados para a Comissão da Verdade; ele presidiu o TRF da 4ª Região e desde 1998 é ministro do Superior Tribunal de Justiça. Foi também corregedor do Conselho Nacional de Justiça e atualmente é ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral Alan Marques/Folhapress Mais
O jurista José Paulo Cavalcanti Filho é um dos sete integrantes nomeados para a Comissão da Verdade; ele é consultor da Unesco e do Banco Mundial e ocupa a cadeira 27 da Academia Pernambucana de Letras. Foi secretário-geral do Ministério da Justiça no governo Sarney e respondeu interinamente pela pasta Guilherme Maranhão/Folha Imagem Mais
A advogada Rosa Maria Cardoso da Cunha é uma das sete integrantes nomeadas para a Comissão da Verdade; Cunha defendeu Dilma quando a presidente foi presa durante a ditadura militar (1964-1985). É doutora em ciência política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) e professora universitária. Em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", Rosa Maria afirmou que a Comissão da Verdade foi criada para investigar os crimes de agentes de Estado que atuaram na repressão aos opositores da ditadura militar. A declaração veio um dia após José Carlos Dias afirmar que os dois lados de violações dos direitos humanos devem ser analisados -- tanto o dos militares quanto o das guerrilhas de esquerda Daniel Marenco/Folhapress Mais
16.mai.2012 - Acompanhada dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, a presidente Dilma Rousseff chega à cerimônia de Instalação da Comissão Nacional da Verdade, no Palácio do Planalto, em Brasília Roberto Stuckert Filho/PR Mais
16.mai.2012 - Acompanhada dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, a presidente Dilma Rousseff chega à cerimônia de Instalação da Comissão Nacional da Verdade, no Palácio do Planalto, em Brasília Roberto Stuckert Filho/PR Mais
16.mai.2012 - Ao lado dos integrantes da Comissão da Verdade, a presidente Dilma Rousseff participa de cerimônia da instalação da comissão, no Palácio do Planalto, em Brasília. O grupo passará os próximos dois anos apurando violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988, período que inclui a ditadura militar Roberto Stuckert Filho/PR Mais
16.maio. 2012 - Presidente Dilma Rousseff faz discurso em cerimônia de Instalação da Comissão Nacional da Verdade, no Palácio do Planalto, em Brasília. A comissão, segundo Dilma, não abriga ressentimento, ódio nem perdão Roberto Stuckert Filho/PR Mais
16.mai.2012 - Presidente Dilma Rousseff chora ao citar familiares de desaparecidos, em cerimônia oficial de instalação da Comissão da Verdade, no Palácio do Planalto. O grupo terá a missão de investigar e narrar violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988 (que abrange o governo do presidente Eurico Gaspar Dutra até a publicação da Constituição Federal) Reprodução de vídeo/NBR Mais
16.mai.2012 - Presidente Dilma Rousseff se emociona ao citar familiares de desaparecidos, em cerimônia oficial de instalação da Comissão da Verdade, no Palácio do Planalto. O grupo terá a missão de investigar e narrar violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988 (que abrange o governo do presidente Eurico Gaspar Dutra até a publicação da Constituição Federal) Sergio Lima/Folhapress Mais
24.set.2012 - Integantes da Comissão Nacional da Verdade participam de reunião em São Paulo para definir como será a cooperação entre o colegiado e a comissão estadual da Verdade Rubens Paiva, instalada na Assembleia Legislativa de São Paulo, para analisar as violações cometidas pelo Estado, em São Paulo, durante o período da Ditadura Militar (1964 -1985) Marcelo Camargo/Agência Brasil Mais
24.set.2012 - Integantes da Comissão Nacional da Verdade participam de reunião em São Paulo para definir como será a cooperação entre o colegiado e a comissão estadual da Verdade Rubens Paiva, instalada na Assembleia Legislativa de São Paulo, para analisar as violações cometidas pelo Estado, em São Paulo, durante o período da Ditadura Militar (1964 -1985) Marcelo Camargo/Agência Brasil Mais
24.set.2012 - Rosa Maria Cardoso da Cunha, da Comissão Nacional da Verdade, durante reunião em São Paulo para definir como será a cooperação entre o colegiado e a comissão estadual da Verdade Rubens Paiva, instalada na Assembleia Legislativa de São Paulo, para analisar as violações cometidas pelo Estado, em São Paulo, durante o período da Ditadura Militar (1964 -1985) Marcelo Camargo/Agência Brasil Mais
11.nov.2012 - Imagem cedida pelo jornalista Edílson Martins mostra as ossadas dos 11 mortos que integravam a missão comandada pelo padre João Calleri, realizada em 1968 com o objetivo de "amansar" os waimiris-atroaris. Comissão da Verdade apura mortes de índios que podem quintuplicar vítimas da ditadura Arquivo/Programa Waimiri-Atroari Mais
11.nov.2012 - Imagem cedida pelo jornalista Edílson Martins mostra uma maloca em chamas; segundo o sertanista José Porfírio de Carvalho e a Funai, a maloca foi incendida pelos próprios waimiris-atroaris, que temiam um ataque dos brancos; o Comitê Estadual da Verdade do Amazonas, entretanto, quer que a Comissão Nacional da Verdade investigue se a imagem não retrata um bombardeio militar contra uma aldeia Arquivo/Programa Waimiri-Atroari Mais
11.nov.2012 - Imagem cedida pelo jornalista Edílson Martins mostra as ossadas dos 11 mortos que integravam a missão comandada pelo padre João Calleri, realizada em 1968 com o objetivo de "amansar" os waimiris-atroaris. Comissão da Verdade apura mortes de índios que podem quintuplicar vítimas da ditadura Arquivo/Programa Waimiri-Atroari Mais
27.nov.2012 - A filha do ex-deputado Rubens Paiva, a psicóloga Maria Beatriz Paiva Keller, 52 anos, chorou ao receber nesta terça-feira uma cópia do registro oficial da prisão do pai dela no DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna), no Rio de Janeiro, em 1971. O documento deverá aprofundar as investigações sobre o desaparecimento do ex-deputado, visto pela ultima vez ao ser preso em 1971, no Rio Mauro Vieira/Agência RBS Mais
9.abr.2013 - A Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro acompanha, no cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade, a exumação do corpo do militante de esquerda Alex Xavier, morto em 1972, então com 22 anos, pelo DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo. O pedido de exumação foi feito pela irmã de Alex, Iara Xavier Pereira, de 61 anos, que retornou ao Brasil em 1979, após o exílio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
9.abr.2013 - A Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro acompanha, no cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade, a exumação do corpo do militante de esquerda Alex Xavier, morto em 1972, então com 22 anos, pelo DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo. O pedido de exumação foi feito pela irmã de Alex, Iara Xavier Pereira (foto), de 61 anos, que retornou ao Brasil em 1979, após o exílio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
9.abr.2013 - A Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro acompanha, no cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade, a exumação do corpo do militante de esquerda Alex Xavier, morto em 1972, então com 22 anos, pelo DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo. O pedido de exumação foi feito pela irmã de Alex, Iara Xavier Pereira, de 61 anos, que retornou ao Brasil em 1979, após o exílio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
9.abr.2013 - A Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro acompanha, no cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade, a exumação do corpo do militante de esquerda Alex Xavier, morto em 1972, então com 22 anos, pelo pelo DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo. O pedido de exumação foi feito pela irmã de Alex, Iara Xavier Pereira, de 61 anos, que retornou ao Brasil em 1979, após o exílio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
9.abr.2013 - A Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro acompanha, no cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade, a exumação do corpo do militante de esquerda Alex Xavier, morto em 1972, então com 22 anos, pelo pelo DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo. O pedido de exumação foi feito pela irmã de Alex, Iara Xavier Pereira, de 61 anos, que retornou ao Brasil em 1979, após o exílio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
9.abr.2013 - A Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro acompanha, no cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade, a exumação do corpo do militante de esquerda Alex Xavier, morto em 1972, então com 22 anos, pelo pelo DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo. O pedido de exumação foi feito pela irmã de Alex, Iara Xavier Pereira, de 61 anos, que retornou ao Brasil em 1979, após o exílio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
10.mai.2013 - O ex-sargento Marival Chaves, que trabalhou no Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna em São Paulo (DOI-Codi/SP), presta depoimento à Comissão da Verdade, em Brasília. Ele afirmou que "cadáveres de militantes eram expostos no DOI-Codi como troféu de vitória" Wilson Dias/Agência Brasil Mais
10.mai.2013 - O coronel reformado e ex-comandante do DOI-CODI em São Paulo Carlos Alberto Brilhante Ustra presta depoimento à Comissão da Verdade, em Brasília Sérgio Lima/FolhaPress Mais
21.mai.2013 - A Comissão Nacional da Verdade apresentou nesta terça-feira (21) um balanço do primeiro ano de pesquisas. Segundo os relatórios, os órgãos de repressão da ditadura militar começaram a torturar opositores muito antes de surgir a luta armada no país. Na foto, Paulo Sérgio Pinheiro, coordenador da comissão, fala durante a apresentação André Coelho / Ag. O Globo Mais
21.mai.2013 - A historiadora Heloísa Starling apresenta o histórico do primeiro ano de atividades da Comissão da Verdade durante reunião realizada no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília. Segundo ela, a tortura começou a ser praticada nos quartéis em 1964, antes da luta armada Sergio Lima / Folhapress Mais
21.mai.2013 - O professor Paulo Sergio Pinheiro, coordenador da Comissão da Verdade, participa de reunião sobre o balanço do primeiro ano de atividades do grupo realizada no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília. Na ocasião, ele disse que a comissão descobriu a existência de 250 "estruturas de inteligência" que funcionavam nos ministérios e nos estabelecimentos públicos durante a ditadura militar (1964-1985) Sergio Lima / Folhapress Mais
21.mai.2013 - Rosa dos Santos, filha de Arthur Pereira da Silva [preso político e morto na Ditadura Militar], fala durante a reunião sobre o balanço do primeiro ano de atividades da Comissão da Verdade no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília. O órgão foi criado pelo governo para investigar as violações aos direitos humanos durante a ditadura militar (1964-1985) Sergio Lima / Folhapress Mais
21.mai.2013 - O militar Paulo Chagas marca presença na reunião que apresenta o balanço do primeiro ano de atividades da Comissão da Verdade no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília. O órgão foi criado pelo governo para investigar as violações aos direitos humanos durante a ditadura militar (1964-1985) Sergio Lima / Folhapress Mais
21.mai.2013 - A advogada Rosa Cardoso participa da reunião que apresenta o balanço do primeiro ano de atividades da Comissão da Verdade no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília. Segundo a integrante do grupo criado para investigar as violações aos direitos humanos durante a ditadura militar (1964-1985), os crimes de lesa-humanidade são imprescritíveis e "devem ser submetidos à justiça" Sergio Lima / Folhapress Mais
21.mai.2013 - Os militares Sebastião Aquino (à esquerda) e Paulo Chagas (à direita) deixam o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília, após divulgação do balanço do primeiro aniversário da Comissão da Verdade, criada pelo governo para investigar as violações aos direitos humanos durante a ditadura militar (1964-1985) Sergio Lima / Folhapress Mais
18.jun.2013 - Dois militares do Exército e três da Marinha prestam depoimentos à Comissão Nacional da Verdade e a Comissão da Verdade do Rio de Janeiro realizada no auditório da Caarj (Caixa de Assistência dos Advogados do Rio de Janeiro), no Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira (18). Eles foram presos, cassados e participaram da resistência à Ditadura Militar (1964 - 1985) Armando Paiva/Futura Press Mais
24.jun.2013 - O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, sancionou nesta segunda-feira a lei que cria a Comissão da Verdade no Estado do Amapá. A comissão será formada por sete funcionários público e vai investigar possíveis abusos cometidos entre 1946 e 1988, período da ditadura militar e transição para o regime democrático no Estado Paulo O. de Almeida/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais
28.jun.2013 - Manifestantes realizaram um protesto em frente a um prédio comercial onde trabalha um advogado que foi agente da repressão, durante a Ditadura Militar, nesta sexta-feira (28), em Foz do Iguaçu (PR). No local, manifestantes colaram cartazes e faixas que acusavam Mario Espedito de "torturador" Christian Rizzi/Gazeta do Povo/Futura Press Mais
28.jun.2013 - Manifestantes realizaram um protesto em frente a um prédio comercial onde trabalha um advogado que foi agente da repressão, durante a Ditadura Militar, nesta sexta-feira (28), em Foz do Iguaçu (PR). No local, manifestantes colaram cartazes e faixas que acusavam Mario Espedito de "torturador" Christian Rizzi/Gazeta do Povo/Futura Press Mais
28.jun.2013 - Manifestantes realizaram um protesto em frente a um prédio comercial onde trabalha um advogado que foi agente da repressão, durante a Ditadura Militar, nesta sexta-feira (28), em Foz do Iguaçu (PR). No local, manifestantes colaram cartazes e faixas que acusavam Mario Espedito de "torturador" Christian Rizzi/Gazeta do Povo/Futura Press Mais
28.jun.2013 - Manifestantes realizaram um protesto em frente a um prédio comercial onde trabalha um advogado que foi agente da repressão, durante a Ditadura Militar, nesta sexta-feira (28), em Foz do Iguaçu (PR). No local, manifestantes colaram cartazes e faixas que acusavam Mario Espedito de "torturador" Christian Rizzi/Gazeta do Povo/Futura Press Mais
28.jun.2013 - Manifestantes realizaram um protesto em frente a um prédio comercial onde trabalha um advogado que foi agente da repressão, durante a Ditadura Militar, nesta sexta-feira (28), em Foz do Iguaçu (PR). No local, manifestantes colaram cartazes e faixas que acusavam Mario Espedito de "torturador" Christian Rizzi/Gazeta do Povo/Futura Press Mais
9.jul.2013 - A Comissão da Verdade anunciou que os restos mortais do ex-presidente João Goulart, deposto pelo golpe militar de 1964, serão exumados do mausoléu da família, em São Borja (RS), e serão periciados na capital federal, no Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal Divulgação / Canal Brasil Mais
9.jul.2013 - A Comissão da Verdade anunciou que os restos mortais do ex-presidente João Goulart, deposto pelo golpe militar de 1964, serão exumados do mausoléu da família, em São Borja (RS), e periciados em Brasília. Participaram da reunião em que ocorreu o anúncio João Vicente Goulart, filho do ex-presidente João Goulart (primeiro à esq.), Rosa Cardoso, coordenadora da Comissão da Verdade, Maria do Rosário, ministra dos Direitos Humanos, netos de Jango e integrantes do Ministério Público Marcelo Oliveira e Lívia Mota /ASCOM - CNV Mais
14.ago.2013 - Em sessão das comissões Nacional e Estadual da Verdade no Rio, o advogado José Carlos Tórtima (à direita) acusa o major Walter Jacarandá de tê-lo torturado durante a ditadura militar (1964 - 1985). "Nunca é tarde, major, para o senhor se conciliar com essa sociedade ultrajada por essas barbaridades que pessoas como o senhor cometeram", afirmou Tórtima. O militar admitiu ter participado de sessões de tortura no DOI-Codi, no Rio. Foram ouvidos seis ex-presos políticos que foram presos e torturados nas dependências do DOI-Codi, localizado na rua Barão de Mesquita, na Tijuca. A audiência pública tratou da morte, no mesmo local, de Mário Alves, líder do PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário), em 1970 Thiago Vilela/CNV Mais
14.ago.2013 - O major Walter Valter da Costa Jacarandá, ex-major do Corpo de Bombeiros, um dos acusados pelo sequestro e a morte sob tortura de Mário Alves, dirigente do PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário) assassinado em janeiro de 1970, no DOI-Codi do Rio, admitiu que participou de sessões de tortura durante a ditadura militar (1964-1985), mas disse "não se lembrar" quantas pessoas torturou, durante audiência pública que tratou da morte, no mesmo local, de Mário Alves. Foram ouvidos seis ex-presos políticos que foram presos e torturados nas dependências do DOI-Codi, localizado na rua Barão de Mesquita, na Tijuca Thiago Vilela/CNV Mais
14.ago.2013 - Maria Dalva Leite de Castro, ex-presa política do DOI-Codi Rio durante a ditadura militar (1964-1985), presta depoimento às comissões Nacional e Estadual da Verdade durante audiência pública que tratou da morte, no mesmo local, de Mário Alves, líder do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), em 1970. Foram ouvidos seis ex-presos políticos que foram presos e torturados nas dependências do DOI-Codi, localizado na rua Barão de Mesquita, na Tijuca Thiago Vilela/CNV Mais
14.ago.2013 - José Luis Sabóia, ex-preso político do DOI-Codi Rio durante a ditadura militar (1964-1985), presta depoimento às comissões Nacional e Estadual da Verdade durante audiência pública que tratou da morte, no mesmo local, de Mário Alves, líder do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), em 1970. Foram ouvidos seis ex-presos políticos que foram presos e torturados nas dependências do DOI-Codi, localizado na rua Barão de Mesquita, na Tijuca. "Eu estar vivo foi a minha resistência", disse Sabóia Thiago Vilela/CNV Mais
14.ago.2013 - Álvaro Caldas, ex-preso político do DOI-Codi Rio durante a ditadura militar (1964-1985), presta depoimento às comissões Nacional e Estadual da Verdade durante audiência pública que tratou da morte, no mesmo local, de Mário Alves, líder do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), em 1970. Foram ouvidos seis ex-presos políticos que foram presos e torturados nas dependências do DOI-Codi, localizado na rua Barão de Mesquita, na Tijuca. "Dos choques eu passei para o pau de arara. Tudo isso se passou num quartel do Exército brasileiro", afirmou Caldas Thiago Vilela/CNV Mais
14.ago.2013 - Lúcia Vieira Caldas, filha de Mário Alves, falou sobre a vida política e a perseguição ao pai durante a ditadura militar (1964-1985) na audiência pública que tratou da morte, no mesmo local, de Mário Alves, líder do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), em 1970. Foram ouvidos seis ex-presos políticos que foram presos e torturados nas dependências do DOI-Codi, localizado na rua Barão de Mesquita, na Tijuca. "Mário levou uma vida curta, toda ela de lutas. Hoje a verdade finalmente está sendo revelada, e a historia fará justiça", afirmou Thiago Vilela/CNV Mais
23.set.2013 - Parlamentares federais da Comissão da Verdade, entre elas a deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP), e representantes do Ministério Público visitam o prédio onde funcionava o DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações-Centro de Defesa Interna), na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro Hanrrikson Andrade/UOL Mais
23.set.2013 - O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), à esquerda, e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) discutem enquanto membros da Comissão da Verdade entravam no 1º Batalhão da Polícia do Exército, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, onde funcionava o antigo DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna). Bolsonaro, que é radicalmente contrário aos trabalhos da comissão, disse estar no local como forma de protesto. O senador amapaense afirmou que foi agredido por Bolsonaro com um soco na região do estômago Márcia Foletto/Agência O Globo Mais
23.set.2013 - Manifestantes homenageiam pessoas que desapareceram no período da ditadura militar, durante visita de integrantes da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro e de comissões de Direitos Humanos ao antigo prédio do DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações-Centro de Defesa Interna), no Rio de Janeiro Hanrrikson de Andrade/UOL Mais
23.set.2013 - O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), a deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP) e membros da Comissão Estadual da Verdade discursam em praça pública após visita ao DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações-Centro de Defesa Interna), no Rio de Janeiro Hanrrikson de Andrade/UOL Mais
24.set.2013 - Os possíveis restos mortais do líder camponês maranhense Epaminondas Gomes de Oliveira, membro do PRT (Partido Revolucionário Trabalhista) foram exumados nesta terça-feira (24), no cemitério Campo da Boa Esperança, em Brasília. O revolucionário foi morto aos 68 anos quando estava sob a custódia do Exército, em agosto de 1971 Luciano Freire/Futura Press Mais
27.set.2013 - Maria Lygia Nehring (à esq.), viúva de Norberto Nehring, e a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, dão as mãos durante audiência pública da Comissão da Verdade da Assembleia Legislativa de São Paulo, na zona sul da capital paulista, nesta sexta-feira (27). A reunião analisou o caso Norberto Nehring, assassinado pelos órgãos de repressão da ditadura militar Marcelo Camargo/ABr Mais
27.set.2013 - A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, abraça a filha de Norberto Nehring, Marta Nehring, após a audiência pública da Comissão da Verdade da Assembleia Legislativa de São Paulo, na zona sul da capital paulista, nesta sexta-feira (27). A reunião analisou o caso Norberto Nehring, assassinado pelos órgãos de repressão da ditadura militar Marcelo Camargo/ABr Mais
2.out.2013 - Militares suspeitos de tortura no DOI-Codi prestam depoimento sobre a morte de Mário Alves, em janeiro de 1970. Na foto, integrantes ouvem o tenente Dulene Garcez, nesta quarta-feira (2), no Rio de Janeiro Hanrrikson de Andrade/UOL Mais
2.out.2013 - Militares suspeitos de tortura no DOI-Codi prestam depoimento sobre a morte de Mário Alves, em janeiro de 1970. Na foto, integrantes ouvem o tenente Luiz Mário Correia de Lima, nesta quarta-feira (2), no Rio de Janeiro Hanrrikson de Andrade/UOL Mais
29.out.2013 - Iara Lobo de Figueiredo, filha de Maria Regina Figueiredo, uma das pessoas mortas na chacina de Quintino, ocorrida em março de 1972, falou sobre a dificuldade em lidar com a morte da mãe, durante audiência da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (29). O entidade derrubou a versão dos militares sobre a morte de três militantes da VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária Palmares), segundo a qual eles teriam reagido quando as forças policiais estouraram o aparelho subversivo. A investigação apontou que as vítimas não estavam armadas e foram assassinadas Reprodução/Facebook Mais
29.out.2013 - Francisco Nóbrega, irmão de Lígia Maria Salgado, uma das pessoas mortas na chacina de Quintino, ocorrida em março de 1972, falou sobre o momento do reconhecimento do corpo da vítima da ditadura. durante audiência da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (29). O entidade derrubou a versão dos militares sobre a morte de três militantes da VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária Palmares), segundo a qual eles teriam reagido quando as forças policiais estouraram o aparelho subversivo. A investigação apontou que as vítimas não estavam armadas e foram assassinadas Reprodução/Facebook Mais
30.ouit.2013 - Andrés Habegger, filho do jornalista argentino Norberto Armando Habegger, que desapareceu no Brasil após desembarcar no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, em 1978, revelou detalhes sobre a militância política do pai durante audiência da Comissão Estadual da Verdade do Rio. A entidade pedirá informações à Justiça argentina sobre a participação de militares brasileiros na Operação Condor, com o objetivo de elucidar o desaparecimento do jornalista argentino Reprodução/Facebook Mais
30.out.2013 - Comissão da Verdade do Estado de São Paulo recebe a antropóloga argentina Pilar Calveiro para discutir o desaparecimento forçado como política de Estado Marcelo Camargo/Agência Brasil Mais
11.nov.2013 - Membros da Subcomissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça fizeram uma visita ao antigo prédio do DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna), em São Paulo, na rua Tutoia. Participaram da visita os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Ana Rita (PT-ES) e os deputados Luiza Erundina (PSB-SP) e Ivan Valente (PSOL-SP) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
11.nov.2013 - Membros da Subcomissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça fizeram uma visita ao antigo prédio do DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna), em São Paulo, na rua Tutoia. Participaram da visita os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Ana Rita (PT-ES) e os deputados Luiza Erundina (PSB-SP) e Ivan Valente (PSOL-SP) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
11.nov.2013 - Membros da Subcomissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça fizeram uma visita ao antigo prédio do DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna), em São Paulo, na rua Tutoia. Participaram da visita os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Ana Rita (PT-ES) e os deputados Luiza Erundina (PSB-SP) e Ivan Valente (PSOL-SP) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
12.nov.2013 - Desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (12), São Borja, no Rio Grande do Sul, vivencia com mais intensidade o clima da exumação do ex-presidente João Goulart. Os preparativos começaram com reuniões de organização do cerimonial, montagem do esquema de segurança no Cemitério Jardim da Paz e uma audiência pública. A exumação de Jango ocorrerá nesta quarta (13), a partir das 7h Tadeu Vilani/Agência RBS/Estadão Conteúdo Mais
12. out. 2013 - Depois 37 anos de dúvidas, começa a ser desvendado nesta quarta-feira (13) o mistério sobre a morte do ex-presidente João Goulart, conhecido como Jango. A partir das 7h começa a exumação do corpo, que contará especialistas brasileiros e da América Latina Divulgação/CNV Mais
13.nov.2013 - Peritos se preparam para a exumação do corpo do ex-presidente João Goulart, conhecido como Jango, no cemitério Jardim da Paz em São Borja, Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira (13). Os restos mortais serão levados para Brasília para análise da perícia. A exumação investigará a suspeita de que Jango tenha sido morto por envenenamento durante exílio na Argentina, em 1976 Itamar Aguiar/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais
13.nov.2013 - Manifestantes exibem faixas durante exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart no cemitério Jardim da Paz, em São Borja, no Rio Grande do Sul. A ex-primeira-dama Maria Tereza Goulart afirmou que preferiu não ir à exumação dos restos mortais do ex-marido. "Seria muito doloroso. Pra mim não dá" Tarlis Schneider/Acurácia Fotojornalismo/Estadão Conteúdo Mais
13.nov.2013 - Manifestantes exibem cartazes durante exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart no cemitério Jardim da Paz, em São Borja, no Rio Grande do Sul. A ex-primeira-dama Maria Tereza Goulart afirmou que preferiu não ir à exumação dos restos mortais do ex-marido. "Seria muito doloroso. Pra mim não dá" Tarlis Schneider/Acurácia Fotojornalismo/Estadão Conteúdo Mais
13.nov.2013 - Os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, acompanham no cemitério Jardim da Paz, em São Borja(RS), a exumação do ex- presidente João Goulart Tadeu Vilani/Agência RBS/Estadão Conteúdo Mais
13.nov.2013 - O governador Tarso Genro chega ao cemitério Jardim da Paz, em São Borja (RS), para acompanhar o processo de exumação dos restos mortais do ex- presidente Jango Diego Vara/Agência RBS/Estadão Conteúdo Mais
13.nov.2013 - Os peritos Amaury Souza Jr (esq.), Felipe Donoso (centro) e Jorge Perez (direita) falam com a imprensa sobre o processo de exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart, no cemitério Jardim da Paz, em São Borja (RS). Uma equipe formada por Polícia Federal, Comissão Nacional da Verdade, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência e um time de peritos brasileiros e estrangeiros realizam o procedimento Tarlis Schneider/Acurácia Fotojornalismo/Estadão Conteúdo Mais
14.nov.2013 -Familiares e autoridades acompanham a saída do caixão com os restos mortais do ex-presidente João Goulart, conhecido como Jango, no cemitério Jardim da Paz em São Borja, Rio Grande do Sul. A exumação foi concluída por volta das 2h desta quinta-feira (14), depois de mais de 18 horas de trabalhos Itamar Aguiar/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais
14.nov.2013 - Caixão com os restos mortais do ex-presidente João Goulart, conhecido como Jango, embarca em avião da FAB (Força Aérea Brasileira) em direção a Brasília. O corpo permanecerá no Quartel da Brigada Militar e será submetido a coleta de amostras para análise da perícia Reprodução/Twitter/Secretaria dos Direitos Humanos Mais
14.nov.2013 - Corpo do ex-presidente João Goulart, o Jango, é recebido com honras militares na Base Aérea de Brasília Reprodução/Twitter/Secretaria dos Direitos Humanos Mais
14.nov.2013 - Presidente Dilma Roussef acompanha a viúva do ex-presidente João Goulart, Maria Teresa Goulart e coloca flores sobre o caixão com os restos mortais de Jango Reprodução/Twitter/Secretaria dos Direitos Humanos Mais
14.nov.2013 - Presidente Dilma, ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney e Fernando Collor e outras autoridades receberam na manhã desta quinta-feira (14) os restos mortais do também ex-presidente João Goulart, o Jango, com honras militares Roberto Stuckert Filho/PR Mais
14.nov.2013 - Corpo do ex-presidente João Goulart, o Jango, é recebido com honras militares na Base Aérea de Brasília Pedro Ladeira/Folhapress Mais
14.nov.2013 - Presidente Dilma Roussef acompanha a viúva do ex-presidente João Goulart, Maria Teresa Goulart, e coloca flores sobre o caixão com os restos mortais de Jango Pedro Ladeira/Folhapress Mais
14.nov.2013 - Presidente Dilma, ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney e Fernando Collor e outras autoridades receberam na manhã desta quinta-feira (14) os restos mortais do também ex-presidente João Goulart, o Jango, com honras militares Pedro Ladeira/Folhapress Mais
14.nov.2013 - Na última quarta-feira (13) os parlamentares da Câmara dos Vereadores de São Paulo receberam o perito criminal Alberto Carlos de Minas (segundo à esquerda), que em 1996 analisou os restos mortais do motorista do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Minas declarou que na época constatou um orifício suspeito no crânio de Ribeiro, indicando que ele teria sido vítima de um disparo de arma de fogo. O vereador Gilberto Natali (PV-SP) declarou que encaminhará um sub-relatório à Comissão Nacional da Verdade pedindo que a morte de JK seja declarada oficialmente como assassinato de cunho político, e não acidente de trânsito, como concluíram as investigações na época do acidente Luiz França / CMSP Mais
14.nov.2013 - A presidente Dilma Rousseff abraça a viúva de João Goulart, Maria Thereza Goulart, durante cerimônia de chegada dos restos mortais do ex-presidente Jango a Brasília Roberto Stuckert Filho/PR Mais
6.dez.2013 - Corpo do ex-presidente João Goulart deixa Brasília após passar por análise do Instituto Nacional de Criminalística do Departamento de Polícia Federal. Jango será enterrado nesta sexta-feira (6), desta vez com honras de chefe de Estado Reprodução/Twitter/ Secretaria de Direitos Humanos Mais
6.dez.2013 - Autoridades, familiares e pessoas acompanham nesta sexta-feira (6) uma vigília para o ex-presidente brasileiro João Goulart, na Igreja Matriz de São Borja, no Rio Grande do Sul. Os restos mortais do ex-presidente foram exumados e levados para Brasília para uma nova autópsia que tenta descobrir se Jango foi envenenado. Ele morreu quando vivia asilado durante a ditadura militar Edison Vara/Reuters Mais
6.dez.2013 - João Vicente Goulart (à esq.) conforta seu filho Christopher Goulart durante o sepultamento dos restos mortais do seu pai e avô, respectivamente, o ex-presidente do Brasil, João Goulart, nesta sexta-feira (6), em São Borja, no Rio Grande do Sul. Ele foi enterrado após realização de autópsia, 37 anos depois da sua morte Edison Vara/Reuters Mais
12.dez.2013 - O delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo Aparecido Laertes Calandra prestou depoimento nesta quinta-feira (12) à Comissão Nacional da Verdade. Vítimas da repressão acusam Calandra de praticar torturas e de envolvimento com a morte de perseguidos políticos durante a ditadura. Segundo testemunhas, ele usava o apelido de Capitão Ubirajara na época. No depoimento, Calandra rechaçou as acusações Marcelo Camargo/Agência Brasil Mais
18.dez.2013 - A presidente Dilma Rousseff participa de cerimônia de devolução simbólica do mandato presidencial ao ex-presidente João Goular, morto em 1976, durante a ditadura militar. O evento aconteceu nesta quarta-feira (18) no Congresso Nacional, em Brasília Roberto Stuckert Filho/PR Mais
23.jan.2014 - Integrantes da CNV (Comissão Nacional da Verdade) fizeram nesta quinta-feira (23) uma diligência técnica nas dependências da antiga unidade da Polícia do Exército na Vila Militar de Deodoro, no Rio de Janeiro, acompanhados por pessoas que foram torturadas na unidade durante a ditadura. O objetivo da visita foi ajudar a reconhecer os locais de tortura, que passaram por muitas reformas ao longo dos últimos anos Tomaz Silva/Agência Brasil Mais
24.jan.2014 - A Comissão Nacional da Verdade e a Comissão da Verdade do Rio realizaram uma Audiência Pública sobre tortura e mortes na Vila Militar de Deodoro, no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (24) Bruno Marins/CEV-Rio Mais
18.fev.2014 - A Comissão Nacional da Verdade anunciou em coletiva que entregou nesta terça-feira (18) ao ministro da Defesa, Celso Amorim, um requerimento que pede às Forças Armadas a abertura de sindicâncias administrativas com o objetivo de investigar, especificamente, como sete instalações militares localizadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco eram utilizadas para a prática de torturas durante a ditadura militar. Anexo ao requerimento seguiu também um relatório de 50 páginas apontando o uso comprovado das unidades militares em episódios que violaram os direitos humanos ASCOM/CNV/Thiago Vilela Mais
18.fev.2014 - A Comissão Nacional da Verdade anunciou em coletiva que entregou nesta terça-feira (18) ao ministro da Defesa, Celso Amorim, um requerimento que pede às Forças Armadas a abertura de sindicâncias administrativas com o objetivo de investigar, especificamente, como sete instalações militares localizadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco eram utilizadas para a prática de torturas durante a ditadura militar. Anexo ao requerimento seguiu também um relatório de 50 páginas apontando o uso comprovado das unidades militares em episódios que violaram os direitos humanos Reprodução/Facebook Mais
24.fev.2014 - Audiência pública que aconteceu nesta segunda-feria (24) revelou a história de oito mortos da ALN (Ação Libertadora Nacional), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, em São Paulo. A Comissão Nacional da Verdade realizou em parceria com a Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva, uma audiência sobre três ações da repressão na capital paulista com laudos que demonstram que as oito mortes que estão sendo julgadas não ocorreram como contadas pela ditadura Thiago Vilela / ASCOM-CNV Mais
24.fev.2014 - A mesa de abertura do evento contou com, da esquerda para direita, Francisco Carlos de Andrade, ex-militante da ALN; José Carlos Dias, membro da CNV; Adriano Diogo, presidente da Comissão da Verdade São Paulo; Iara Xavier, irmã de Alex Xavier, militante da ALN assassinado; Mauro Yared, perito da CNV. A audiência pública sobre oito mortes mostra novos laudos que demonstram que essas não ocorreram como contadas pela ditadura. O programa da audiência foi dividido em dois dias, nesta segunda-feira (24) foram tratados os casos do restaurante Varella, na Mooca (mortes de Ana Maria Nacinovic, Iuri Xavier Pereira e Marcos Nonato da Fonseca) e das mortes de Alex Xavier Pereira e Gelson Reicher Thiago Vilela / ASCOM-CNV Mais
24.fev.2014 - Francisco Carlos de Andrade, ex-militante da ALN (Ação Libertadora Nacional), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, em São Paulo, nesta segunda-feira (24), durante a audiência pública sobre três ações da repressão na capital paulista. Andrade disse que foi levado preso até o local onde viu os corpos de Alex e Gelson, em um fusca branco. Meses depois, no DOI, Francisco viu três corpos no chão, que eram de Ana, Iuri e Marcos, como se a morte tivesse acontecido naquele momento. "No pátio, eu vi os três corpos no chão. Foi num dos dias do meu depoimento do Dops. Dessa vez não me pediram para reconhecê-los. De lá, me levaram direto para a minha cela" Thiago Vilela / ASCOM-CNV Mais
24.fev.2014 - Antônio Pires Eustáquio (direita), que foi administrador do cemitério de Perus, presta seu depoimento à Comissão Nacional da Verdade nesta segunda-feira (24), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, em São Paulo. Na audiência pública sobre três ações da repressão na capital paulista que resultaram em oito mortes, Eustáquio afirmou que, diferente do contado pela ditadura, Alex e Iuri Xavier Pereira foram enterrados como indigentes e sob pseudônimo Thiago Vilela / ASCOM-CNV Mais
25.fev.2014 - A Comissão Nacional da Verdade colheu nesta terça-feira (25) o depoimento do ex-escrivão de polícia Manoel Aurélio Lopes, 77, que elaborou o auto de apreensão de armas e documentos encontrados com o militante da ALN (Ação Libertadora Nacional) Arnaldo Cardoso Rocha, morto em 1973. Ele admitiu ter visto torturas no período em que trabalhava no Dops e que sabia da existência da prática no Doi-Codi de São Paulo CNV/Divulgação Mais
25.mar.2014 - Única prisioneira a sair viva da Casa de Petrópolis, a Casa da Morte, e última presa política a ser libertada durante o regime militar, Inês Etienne Romeu comparece nesta terça à audiência da Comissão Nacional da Verdade, no Arquivo Nacional, centro do Rio de Janeiro Hanrrikson Andrade/UOL Mais
25.mar.2014 - O coronel Paulo Magalhães chega ao Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, de cadeira de rodas para depor na Comissão Nacional da Verdade. Magalhães só aceitou depor de forma reservada, sem que a imprensa e o público em geral tenham acesso Hanrrikson Andrade/UOL Mais
25.mar.2014 - O coronel reformado Paulo Malhães fala a representantes da Comissão Nacional da Verdade, em audiência pública realizada na tarde desta terça-feira (25). Em depoimento, ele afirmou que tinha pavor de interrogar mulheres e gays, em referência à sua atuação na Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense Pedro Kirilos / Agencia O Globo Mais
25.mar.2014 - O coronel reformado Paulo Malhães fala a representantes da Comissão Nacional da Verdade, em audiência pública realizada na tarde desta terça-feira (25). Em depoimento, ele afirmou que tinha pavor de interrogar mulheres e gays, em referência à sua atuação na Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense Hanrrikson Andrade/UOL Mais
25.mar.2014 - O coronel reformado Paulo Malhães fala a representantes da Comissão Nacional da Verdade, em audiência pública realizada na tarde desta terça-feira (25). Em depoimento, ele afirmou que tinha pavor de interrogar mulheres e gays, em referência à sua atuação na Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense Hanrrikson Andrade/UOL Mais
25.mar.2014 - Inês Etienne Romeu, única sobrevivente da Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense, recebe um beijo na cabeça durante audiência pública realizada sobre o local pela CNV (Comissão Nacional da Verdade), no Arquivo Nacional Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
25.mar.2014 - Inês Etienne Romeu, única sobrevivente da Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense, participa de audiência pública realizada sobre o local pela CNV (Comissão Nacional da Verdade), no Arquivo Nacional Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
25.mar.2014 -CNV (Comissão Nacional da Verdade) realiza no Arquivo Nacional, nesta terça-feira, audiência sobre o funcionamento da Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
25.mar.2014 - CNV (Comissão Nacional da Verdade) realiza no Arquivo Nacional, nesta terça-feira, audiência sobre o funcionamento da Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
25.mar.2014 - Pessoas acompanham a audiência pública da CNV (Comissão Nacional da Verdade) realiza no Arquivo Nacional, nesta terça-feira (25), sobre a Casa da Morte de Petrópolis, um dos centros clandestinos de tortura do regime militar, na serra fluminense Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
22.abr.2014 - Pedro Dallari, coodenador da CNV (Comissão Nacional da Verdade), divulga o relatório parcial de pesquisa do caso Juscelino Kubitschek. A CNV concluiu que o ex-presidente Juscelino Kubistchek não foi assassinado pela ditadura militar e que sua morte foi acidental. Relatório parcial sobre a apuração da morte de JK foi apresentado pela comissão nesta terça-feira (22) em Brasília Valter Campanato/Agência Brasil Mais
22.abr.2014 - Pedro Dallari, coodenador da CNV (Comissão Nacional da Verdade), divulga o relatório parcial de pesquisa do caso Juscelino Kubitschek. A CNV concluiu que o ex-presidente Juscelino Kubistchek não foi assassinado pela ditadura militar e que sua morte foi acidental. Relatório parcial sobre a apuração da morte de JK foi apresentado pela comissão nesta terça-feira (22) em Brasília Valter Campanato/Agência Brasil Mais
25.jul.2014 - O coordenador da CNV (Comissão Nacional da Verdade), Pedro Dallare, observa foto do assassinato de Stuart Angel, durante entrevista sobre os depoimentos colhidos durante a semana pela comissão, nesta sexta-feira (25). A CNV afirmou nesta sexta que uma foto inédita liga um coronel do Exército, Freddie Perdigão, à cena do acidente que matou a estilista Zuzu Angel, em 1976 Joel Rodrigues/Folhapress Mais
25.jul.2014 - CNV afirmou nesta sexta que uma foto inédita liga um coronel do Exército, Freddie Perdigão, à cena do acidente que matou a estilista Zuzu Angel, em 1976 Acervo Cláudio Guerra/Comissão da Verdade Mais
29.jul.2014 - O general reformado Nilton de Albuquerque Cerqueira, do Exército, compareceu na audiência da Comissão Nacional da Verdade, na manhã desta terça-feira, no Arquivo Nacional, no centro do Rio de Janeiro. O general é acusado pelo Ministério Público Federal de prática de homicídio doloso por motivo torpe, uso e transporte de explosivos e associação criminosa armada. Esta é a segunda vez que Cerqueira depõe na Comissão Nacional da Verdade Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
O coronel do Exército Wilson Dias Machado foi ouvido nesta manhã de quinta (31) pela Comissão Nacional da Verdade. Apesar do assunto que envolve o militar há 33 anos, ele se mostrou calmo e sorridente ao entrar na sala, cumprimentando alguns dos presentes. Se de um lado da mesa havia quem esperava por respostas, do outro se prezou pelo silêncio Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
6.ago.2014 - Representantes da Comissão Estadual da Memória e Verdade de Pernambuco se reuniram com deputados da Câmara Federal para receber documentos da CPI do Ibad (Instituto Brasileiro de Ação Democrática), arquivada em 1963, que investigava o financiamento de campanhas eleitorais nas últimas eleições antes do golpe. A comissão investiga a participação do Ibad no golpe militar de 1964 José Cruz/Agência Brasil Mais
12.ago.2014 - A ex-guerrilheira Criméia Schmidt de Almeida, que sobreviveu à Guerrilha do Araguaia, afirmou que militares que a interrogavam mostravam cabeças degoladas de guerrilheiros mortos pelos agentes de repressão para forçá-la a identificar as vítimas. A declaração foi dada durante audiência pública da Comissão Nacional da Verdade em Brasília nesta terça-feira (12) Reprodução Mais
16.ago.2014 - Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro divulgou neste sábado (16) documento que evidencia a vigilância de agentes da ditadura ao cineasta Glauber Rocha. A foto mostra Paloma Rocha, filha do cineasta Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
29.ago.2014 - A Comissão Nacional da Verdade informou nesta sexta-feira que identificou os restos mortais de Epaminondas Gomes de Oliveira -- é o primeiro desaparecido político identificado pela comissão. Ele foi morto em um hospital do Exército em 1971 e estava enterrado em Brasília, mas sua família nunca teve acesso aos restos mortais Reprodução/ Facebook Comissão Nacional da Verdade Mais
8.set.2014 - Documento de convocação do tenente José Conegundes do Nascimento para comparecer para depor à Comissão Nacional da Verdade e a resposta manuscrita por ele informando que não compareceria: "se virem. Não colaboro com o inimigo" Divulgação/Comissão Nacional da Verdade Mais
09.set.2014 - Em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, o coronel da reserva Pedro Ivo Moezia confirmou a existência de "castigo físico" contra esquerdistas realizada pela Polícia Civil de São Paulo durante a ditadura militar (1964-1985) Valter Campanato/Agência Brasil Mais
15.set.2014 - Imóvel do atual Dnit reconhecido por ex-soldado e por dois camponeses presos como local de prisão e tortura de presos durante a campanha militar contra a Guerrilha do Araguaia em Marabá (PA), na primeira metade dos anos 1970 Marcelo Oliveira/Divulgação/CNV Mais
22.set.2014 - Foto tirada na ocasião da prisão de Raul Amaro Nin Ferreira, militante torturado e morto aos 27 anos dentro do HCE (Hospital Centro do Exército), no Rio de Janeiro, durante a ditadura militar. Em depoimento à CNV (Comissão Nacional da Verdade) nesta segunda-feira, o irmão da vítima lembrou de quando soube que o Raul estava no hospital. "O que passou pela minha cabeça é que ele estava em um lugar para cuidar da saúde dele. Ficamos surpresos e chocados de saber, dias depois, que havia um cadáver no HCE que nós deveríamos buscar", declarou Pedro Nin Ferreira Reprodução/Facebook/Comissão Nacional da Verdade Mais
23.set.2014 - A CNV (Comissão Nacional da Verdade) identificou 48 presos políticos que passaram pelas dependências do antigo DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna), no bairro da Tijuca, na zona norte do Rio de Janeiro. Desses, 15 morreram e 33 estão desaparecidos até hoje, informou nesta terça (23) o presidente da comissão, Pedro Dallari Tânia Rêgo/ Agência Brasil Mais
26.set.2014 - A CNV (Comissão Nacional da Verdade) e a Comissão da Verdade do Rio de Janeiro fizeram nesta sexta-feira (26) audiência pública sobre o caso da prisão e expulsão de nove funcionários do governo chinês, que faziam parte da "Missão Comercial Chinesa" e foram falsamente acusados de espionagem Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
26.set.2014 - A CNV (Comissão Nacional da Verdade) e a Comissão da Verdade do Rio de Janeiro fizeram nesta sexta-feira (26) audiência pública sobre o caso da prisão e expulsão de nove funcionários do governo chinês, que faziam parte da "Missão Comercial Chinesa" e foram falsamente acusados de espionagem Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais
24.nov.2014 - A Comissão da Verdade do Rio visitou nesta segunda-feira a antiga sede do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), no centro do Rio de Janeiro. O local foi palco de repressão e tortura contra presos políticos desde o governo de Getúlio Vargas até a ditadura militar instaurada com o golpe de 1964. A comissão e entidades da sociedade civil reivindicam que o imóvel, atualmente em reforma para ser transformado em Museu da Polícia Civil, seja destinado a um espaço de memória das vítimas da ditadura, da resistência e das lutas sociais Tomaz Silva/ Agência Brasil Mais
27.nov.2014 - O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, 83 anos, prestou depoimento à Comissão Nacional da Verdade em São Paulo, na quarta-feira (26). FHC falou sobre o golpe militar, a perseguição política, a prisão decretada pela Justiça Militar, a vida no exílio, a cassação e a aposentadoria forçada da Universidade de São Paulo logo após o AI-5. Ele também mencionou as denúncias de tortura que fez a várias autoridades e o episódio em que foi obrigado a prestar depoimento ao DOI-Codi onde foi encapuzado e fichado pela repressão Marcelo Oliveira/ CNV Mais

Comissão da Verdade investiga violações cometidas na ditadura

Últimos álbuns de Notícias



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos