Ministro diz que planos de reconstrução da estação na Antártida começarão na segunda-feira

Vitor Abdala
Da Agência Brasil, no Rio de Janeiro

O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse neste sábado (25) que o programa antártico brasileiro não será encerrado com a destruição da Estação Comandante Ferraz, na Antártida, e que na segunda-feira (27) já começam os planos de reconstrução da base. No incêndio ocorrido na madrugada de sábado, dois militares morreram e um ficou ferido.

De acordo com o ministro, grande parte da estação foi destruída pelo incêndio e, com ela, muitos materiais e equipamentos de pesquisa dos 30 pesquisadores que realizavam trabalhos na ilha foram perdidos.

“Todo núcleo central da base, que é onde estão concentradas essas instalações foi perdido. O grau exato do que aconteceu ainda precisa ser objeto de perícia, mas a avaliação é de que realmente perdeu-se praticamente tudo”, disse.

Amorim disse que ainda não é possível dizer quando a estação voltará a operar, mas os planos para sua reconstrução já começam na segunda.

“Claro que o momento é dor. O principal fato é a perda de vidas. Mas evidentemente quero expressar nossa determinação em continuar esse trabalho que é tão importante para o Brasil e para o mundo. Esse é um projeto de 30 anos de empenho da sociedade brasileira, que tem todo o apoio do governo e do Congresso brasileiro. O programa [antártico] é um motivo de orgulho para nós, de modo que vamos continuar”, disse o ministro.

Amorim também agradeceu ao apoio dado por Chile, Argentina e Polônia no transporte e acomodação do pessoal brasileiro que ficou desalojado com o incêndio e na assistência médica ao militar ferido.

 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos