PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Coluna: Manifesto dos seis pode abrir caminho para fuga da Terra dos Mortos

João Doria, governador de São Paulo: ele é um dos seis signatários da carta em defesa da democracia assinada por candidatos a candidato do centro - Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
João Doria, governador de São Paulo: ele é um dos seis signatários da carta em defesa da democracia assinada por candidatos a candidato do centro Imagem: Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

02/04/2021 08h08

Leiam trechos da coluna na Folha desta sexta:

A entrada de Luiz Inácio Lula da Silva na disputa eleitoral tem provocado, até agora, apenas desdobramentos virtuosos. Espero que se cumpram as regras do devido processo legal e que juízes não decidam tomar o lugar dos eleitores. Dois desses efeitos foram antecipados por este colunista neste espaço: a necessidade de o tal "centro" se organizar e a emergência de Ciro Gomes (PDT) como uma alternativa de um arco ideológico que vai da direita democrática à centro-esquerda. Vamos ver. Seis pré-candidatos à Presidência divulgaram na quarta (31) à noite um manifesto essencialmente correto em defesa da democracia. Em ordem alfabética: Ciro Gomes (PDT), Eduardo Leite (PSDB), João Amoêdo (Novo), João Doria (PSDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Luciano Huck (sem partido). O ex-presidente Lula não foi convidado. Faz sentido. Sergio Moro foi. Não faz sentido.
(...)
Se não faz sentido Moro assinar uma carta de pré-presidenciáveis que exaltam a democracia, faz sentido que Lula não esteja entre seus signatários, não porque lhe faltem as credenciais nesse caso. Os seis que endossam o documento partem da admissão tácita de que o petista tem tudo para ser um dos polos da disputa em 2022. Nesse sentido, articula-se um documento que, sendo inequivocamente antibolsonarista, também é antilulista.
(...)
Não se tem ainda a definição de um nome, mas vejo ali Ciro e Doria, por exemplo, assinando um mesmo documento, o que era improvável até outro dia. Já pensaram, minhas caras, meus caros, essa terceira via como o caminho de uma eventual nova polarização que até mesmo venha a excluir Bolsonaro do segundo turno? Qualquer que fosse o vitorioso, seria a fuga da Terra dos Mortos.
Para ler a íntegra, clique aqui

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL