PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

Bolsonaro, Mussolini, moto e cavalo. E avião? Olhe a Praça de Loreto, Mito!

Mussolini e Bolsonaro nas respectivas motos e cavalos. No destaque, o tirano italiano também aparece na suposta condução de um avião... Cuidado, Aeronáutica! - Getty Images; Ueslei Marcelino/Reuters; Reprodução; Pedro Ladeira/Folhapress
Mussolini e Bolsonaro nas respectivas motos e cavalos. No destaque, o tirano italiano também aparece na suposta condução de um avião... Cuidado, Aeronáutica! Imagem: Getty Images; Ueslei Marcelino/Reuters; Reprodução; Pedro Ladeira/Folhapress
Conteúdo exclusivo para assinantes
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

24/05/2021 09h19

Não.Não é "fake news". É verdade mesmo! Mussolini, o ditador italiano, gostava de motocicletas. E foi proclamado "O Motociclista nº 1" pelo Motoclube da Itália.

Uma exposição de motos e carros antigos havida em 2008, em Roma, exibiu uma moto restaurada que pertenceu ao ditador, que traz justamente a placa nº 1. Era uma Bianchi 175 Freccia d'Oro (Flecha de Ouro), de 1931. A exposição foi notícia no "La Repubblica".

No pé deste post, há uma reportagem sobre um médico, exibida na TV italiana, que havia conseguido comprar a moto que pertencera ao tirano. O título do vídeo traz um erro, afirmando tratar-se de uma Guzzi. Não. É uma Bianchi.

O ditador italiano gostava de exibir a sua suposta virilidade e coragem. Os passeios de moto faziam parte da pantomima. E também os desfiles a cavalo. Bolsonaro já cavalgou duas vezes em Brasília.

Ah, sim: o "duce" também se deixou fotografar no suposto controle de um avião, como se vê na foto acima.

Talvez seja o próximo desafio do nosso "guia".

E, claro, lembro a André Mendonça, da AGU, e ao ministro da Justiça, Anderson Torres, que não vou cometer crime contra a segurança nacional agora, mas apenas fazer uma advertência.

Esse negócio de ficar se colando à biografia de Mussolini, inclusive com a "marcha dos camisas negras" — que, no caso, vestem verde-amarelo — pode não ser bom negócio.

Todo mundo sabe como Mussolini terminou: pendurado de cabeça para baixo na Piazzale Loreto, em Milão.

Melhor se conformar com a democracia.

Veja também vídeo do Reinaldo Azevedo sobre o tema no Youtube.