Terremoto de 4,6 pontos atinge Centro-Oeste do Brasil, diz UnB

Do UOL Notícias

Em São Paulo

Você sentiu o tremor que atingiu o Centro-Oeste?

Um terremoto de 4,6 pontos na escala Richter foi registrado no Centro-Oeste brasileiro, segundo o Observatório de Sismologia da UnB (Universidade de Brasília). Pelas informações iniciais, um tremor foi registrado às 17h17 e um segundo tremor às 17h30. O epicentro foi na cidade de Mara Rosa (483 km de Brasília), na divisa de Goiás e Tocantins, mas o tremor também foi sentido em Brasília.

O instituto norte-americano USGS, que presta serviço ao Departamento do Interior dos Estados Unidos, chegou a informar que o terremoto tinha escala de 5 pontos, mas minutos depois deletou o registro de seu sistema.

Veja o local do epicentro do tremor

  • Arte UOL

    O epicentro foi na cidade de Mara Rosa, na divisa dos Estados de Goiás e Tocantins

Não há relato de prejuízos. O tremor foi sentido por moradores do Plano Piloto, área central de Brasília. Prédios públicos foram evacuados na capital - como o do Ministério das Cidades e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (DF) -, mas a Defesa Civil e a Polícia Militar do DF não registraram ocorrências, apesar de terem recebido diversos telefonemas.

O terremoto não foi sentido no Palácio do Planalto e, por isso, não foi tomada nenhuma medida de emergência. Segundo a assessoria de imprensa do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o prédio chegou a ser evacuado e ficou vazio por cerca de 50 minutos, mas agora as pessoas já começam a retornar. Já o STF (Supremo Tribunal Federal) disse que nada foi sentido no prédio.

Na sede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), uma funcionária afirma ter sentido o tremor. “Sim, eu senti um leve tremor que deve ter durado um segundo, nada mais. Agora que você está me perguntando até fiquei assustada. Não sabia que aquilo que senti tinha sido um tremor de terra”, disse a funcionária, que trabalha na assessoria de imprensa. O prédio, porém, não chegou a ser evacuado.

Internautas do UOL contaram como sentiram o tremor. Renato, de Brasília, disse que na Asa Norte “deu para sentir muito bem”. Segundo ele, no entanto, “(o terremoto) não assustou por que foi muito breve”.

“Aqui tremeu também”, disse Luiz, que é servidor do Supremo Tribunal Federal (STF), que fica na Praça dos Três Poderes. “Quem trabalha nos andares mais altos dos prédios relatou o tremor.”

Já Nilda Gouveia disse que o tremor “durou uns 3 segundos” na quadra 707 Sul. Em Anápolis (GO), o terremoto também foi sentido, como contaram os internautas. “Minha mesa tremeu por 5 segundos, por volta das 17h20”, escreveu Jorge Daher Jr.

Em Goiás, de acordo com o soldado Eduardo Silva, do Corpo de Bombeiros de Porangatu (GO), moradores de várias cidades da região sentiram o tremor e ligaram para a corporação perguntando se houve alguma explosão ou algum acidente. Segundo Silva, os bombeiros receberam ligações das cidades de Porangatu, Santa Tereza e Mutunópolis, em Goiás. De acordo com o bombeiro, não foi necessário deslocar nenhum carro para atendimento.

A reportagem tentou contato com a prefeitura de Mara Rosa, cidade perto do epicentro, mas ninguém atendeu os telefonemas.

Entenda
O maior terremoto documentado no país ocorreu em 1955, em Porto dos Gaúchos, na Serra do Tombador (MT), e teve magnitude 6,6 na escala Richter. Os terremotos mais destrutivos deste ano aconteceram no Haiti (magnitude 7, em 12 de janeiro) e no Chile (magnitude 8,8, em 27 fevereiro). Mais de 226 mil pessoas morreram em 2010 vítimas de terremotos.

Um terremoto é um tremor de terra que pode durar segundos ou minutos. Ele é provocado por movimentos na crosta terrestre, composta por enormes placas de rocha (as chamadas placas tectônicas). O tremor de terra ocasionado por esses movimentos é também chamado de abalo sísmico.

Essas placas se movimentam lenta e continuamente sobre uma camada de rocha parcialmente derretida, ocasionando um contínuo processo de pressão e deformação nas grandes massas de rocha. Quando duas placas se chocam ou se raspam, elas geram um acúmulo de pressão que provoca um movimento brusco.

O Brasil fica em cima de uma grande e única placa tectônica, ao contrário de outros países como os Estados Unidos e Japão. Nesses locais, existe o encontro de duas ou mais placas. As falhas entre elas são, normalmente, os locais onde acontecem os terremotos maiores.

* Com informações da Folha.com e da Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos