Topo

Excesso de chuva põe Rio Grande do Sul em alerta; rios atingiram o limite

Divulgação/Defesa Civil de São Leopoldo
Rio dos Sinos, em São Leopoldo (RS), registra cheia provocada pelas chuvas no Estado Imagem: Divulgação/Defesa Civil de São Leopoldo

Lucas Azevedo<BR>Especial para o UOL Notícias<BR>Em Porto Alegre

2011-07-20T20:12:54

20/07/2011 20h12

A chuva intermitente que cai sobre o Rio Grande do Sul desde a madrugada desta quarta-feira (20), somada ao volume de precipitações em áreas isoladas do Estado iniciadas no final de semana, colocou diversas cidades em estado de alerta. Segundo a Defesa Civil, 263 municípios estão em alerta, a maioria na metade norte do Estado. Isso porque, em poucos dias, vários pontos do território gaúcho registraram volume de chuva superior à marca de 100 milímetros, o esperado para todo o mês.

As autoridades também estão em alerta para o aumento do nível dos rios, especialmente nas bacias do rio do Sinos, Caí, Paranhana, Taquari, das Antas, Uruguai e Ijuí.

Em Novo Hamburgo (35 km de Porto Alegre), no Vale do Sinos, no início da noite desta quarta-feira, o rio estava com 6,61 metros de profundidade: 2,60 metros acima do seu nível normal. Segundo o agente da Defesa Civil do município Nei Adriano Esfran Pinto, se a água subir mais 30 centímetros, as comunidades ribeirinhas começarão a ser evacuadas. “Estamos em prontidão, porque se chegar a 6,95 metros, o pessoal tem que sair de casa.”

O mesmo ocorre em São Leopoldo (27 km de Porto Alegre), onde o mesmo rio está 2,70 metros acima do seu nível. Se o leito continuar subindo, cerca de cem famílias deverão ser retiradas de casa.

Na manhã de hoje, em Gramado (115 km de Porto Alegre), na região serrana, dez famílias tiveram que abandonar suas residências devido a um deslizamento de terra. Ninguém ficou ferido. Perto dali, em Nova Petrópolis, a queda de uma barreira interrompeu parte da BR-116.

Hidroelétricas

Nessa terça-feira, foram abertas três comportas da usina hidrelétrica de Machadinho, entre o município gaúcho de Maximiliano de Almeida e a cidade catarinense de Piratuba. No dia anterior, foi a vez da hidrelétrica de Itá, em Aratiba, no RS, e Itá, em SC, abrir suas comportas.

Pela manhã desta quarta-feira, o lago de Machadinho estava com 97,65% de sua capacidade, enquanto o da hidrelétrica de Itá, com 94,47%.