PUBLICIDADE
Topo

PM é detido acusado de matar jovem no Rio após confundir estouro de pneu com tiros

Marca de tiro no carro que era dirigido pelo estudante Rafael Costa, morto após ser baleado por engano na estrada do Porto Velho, em Cordovil, na zona norte do Rio, no início da noite deste domingo (28). - Alessandro Costa/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
Marca de tiro no carro que era dirigido pelo estudante Rafael Costa, morto após ser baleado por engano na estrada do Porto Velho, em Cordovil, na zona norte do Rio, no início da noite deste domingo (28). Imagem: Alessandro Costa/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Do UOL, no Rio

29/10/2012 10h43Atualizada em 29/10/2012 12h34

O sargento Márcio Peres de Oliveira, 36, lotado no 16º BPM (Olaria), foi preso e autuado por homicídio doloso (quando há intenção de matar) sob acusação de ter assassinado o menor Rafael Costa, no domingo (28), no bairro de Cordovil, na zona norte do Rio de Janeiro, após supostamente ter confundido o jovem com criminosos da região.

Segundo a PM, oito policiais estavam presentes na cena do crime --eles ocupavam dois carros. A polícia informou ainda que o próprio agente procurou a 22ª DP (Penha), onde confessou ter sido responsável pelos disparos. Ele está detido no BEP (Batalhão Especial Prisional).

Todas as armas utilizadas pelos PMs foram recolhidas para perícia, e o resultado deve sair nos próximos 30 dias. Pelo menos dez pessoas já prestaram depoimento.

O adolescente dirigia o carro da mãe quando um dos pneus do veículo furou em um ponto da estrada do Porto Velho, por volta das 19h. Os PMs associaram o barulho do estouro do pneu a disparos de arma de fogo e atiraram contra a vítima.

Um dos quatro disparos realizados contra o carro --Rafael dirigia escondido, já que o veículo é da mãe-- atingiu o pescoço do jovem, que chegou morto ao hospital.

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil. Na companhia da vítima estavam outras quatro pessoas: dois irmãos, que prestaram depoimento durante a última madrugada, e dois amigos, dos quais um foi ferido de raspão no ombro.

Em nota, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Erir Costa Filho, classificou como "lamentável" a atitude do sargento responsável pelo crime, e afirmou que PMs "só devem atirar quando há segurança", uma vez que "a principal missão da corporação é a preservação da vida".

A Secretaria Estadual de Segurança Pública ainda não se pronunciou sobre o caso. O corpo de Rafael Costa será enterrado nesta segunda-feira (28), às 16h, no cemitério de Irajá, na zona norte da cidade.

 

Cotidiano