PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Envolvidos em fraude de ponto com dedos de silicone são afastados do Samu em São Paulo

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em Americana (SP)

11/03/2013 15h07

A Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos (Grande São Paulo) anunciou, no início da tarde desta segunda-feira (11), o afastamento de cinco funcionários do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) acusados de estarem envolvidos em um esquema que fraudava a marcação de ponto dos trabalhadores do Samu. O esquema, flagrado em vídeo pela guarda municipal da cidade, incluía o uso de dedos de silicone para o registro de ponto de servidores que não iam trabalhar.

Médica é presa por fraudar ponto de colegas do Samu em SP

Além da médica Tebuane Nunes Ferreira, 29, que chegou a ser presa em flagrante ao fraudar os pontos, outros três médicos e o diretor do Samu da cidade, Jorge Cury, foram afastados. O anúncio foi feito em pelo prefeito Acir Filló (PSDB), que garantiu que o atendimento do serviço não será prejudicado.

“Nós temos aqui um exército de fantasmas, mas a população está denunciando, os funcionários estão denunciando. Em todas as prefeituras isso acontece. Esses funcionários desonestos têm que ir para a cadeia.” Ele disse também que um processo seletivo para a contratação de novos médicos para substituir os afastados já foi iniciado.

O secretário da Saúde da cidade, Juraci Ferreira da Silva, disse que uma sindicância interna foi instaurada para apurar a fraude. Ele também informou que a prefeitura solicitou a Câmara a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito e também pediu ao Ministério Público que investigue o caso.

Além da investigação da prefeitura, a Polícia Civil anunciou que irá abrir um inquérito para apurar o caso. “Quero saber quem fez as próteses de silicone e quanto prejuízo foi causado à administração da cidade”, disse o delegado Wagner Lombisani, responsável pelo caso. O CRM (Conselho Regional de Medicina) também informou, em nota oficial, que irá apurar as denúncias em sindicância.

O caso

Na semana passada, a Guarda Municipal de Ferraz de Vasconcelos recebeu uma denúncia de que servidores do Samu estariam tendo o ponto batido por colegas sem que fossem trabalhar. A partir de então, a guarda procurou o Ministério Público, que autorizou a captação de imagens do esquema como forma de provar a irregularidade.

Ontem, uma equipe de guardas se deslocou para a prefeitura, onde os servidores do Samu batem o ponto e, por volta das 7h, flagrou a médica Thauane Nunes Ferreira, 29, marcando o ponto eletrônico para colegas.

Com ela, foram apreendidos seis dedos de silicone, utilizados para fraudar o ponto, e comprovantes impressos no nome dele e de outros três colegas de trabalho, que não estavam presentes, pelo equipamento que controla o horário dos funcionários. Ainda no domingo, por volta das 18h40, a Justiça concedeu um habeas corpus e ela foi solta.

Depois de presa, Thauane admitiu que batia o ponto para os colegas e afirmou, segundo versão registrada no Boletim de Ocorrência, que o diretor do Samu, Jorge Cury, não apenas sabia do esquema como também era dele a determinação para que o ponto fosse fraudado.

Outro lado

A reportagem não conseguiu contato com a médica. O advogado dela, Celestino Gomes Antunes, afirmou que Thauane acabou servindo de bode expiatório na questão. "Ela era contratada, foi incumbida de bater o ponto pelos demais. Ela tinha seis dedos de silicone, de seis médicos. Gostaria de saber porque apenas três deles foram afastado. Há três médicos que estão sendo protegidos. Queremos saber as causas."

O coordenador afastado do Samu também foi procurado, mas não atendeu às ligações nem retornou aos recados deixados pela reportagem em seu telefone móvel. O Samu também foi procurado, mas informou à reportagem que a orientação da direção era não comentar o assunto.

Em entrevista concedia à imprensa da cidade na noite de ontem, no entanto, Cury negou as acusações e chegou a classificar a acusação da médica como absurda.

Cotidiano