PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Quadrilha rouba R$ 1,6 milhão em eletrônicos e mata vigilante em Campinas

Fabiana Marchezi

Do UOL, em Campinas (SP)

18/09/2014 14h38Atualizada em 18/09/2014 17h00

Um assalto milionário a uma carga de eletrônicos terminou com um vigilante de 31 anos morto na madrugada desta quinta-feira (18) na rodovia Adhemar Pereira de Barros (SP-340), em Campinas (a 93 km de São Paulo). A carga de componentes eletrônicos levada pelos bandidos foi avaliada em R$ 1,6 milhão. A polícia ainda não tem pistas do bando.

De acordo com a polícia, o vigilante foi baleado durante a ação dos bandidos. Wellington Braz Santos Martins foi levado ao Hospital das Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) pelo resgate da concessionária que administra a estrada, mas não resistiu aos ferimentos.

O motorista do veículo que transportava a carga contou à polícia que o caminhão foi fechado por um Vectra na altura do bairro Bananal, onde ao menos quatro homens armados o aguardavam.

De acordo com o motorista, um dos suspeitos entrou no veículo pela janela do passageiro e fez ameaças para que ele dirigisse até uma rua de terra no bairro, onde outros oito homens encapuzados aguardavam para ajudar a transferir os produtos para outro veículo.

O motorista disse que a ação durou cerca de 15 minutos e que, após a transferência da carga, ele foi obrigado a ficar deitado em um matagal. O bando fugiu e o motorista foi socorrido por um caminhoneiro que passava pelo local. Os outros vigilantes foram levados para um cativeiro, onde ficaram até serem libertados pela polícia.

Segundo uma testemunha, durante a ação, os bandidos teriam disparado contra o veículo da escolta, e o vigia acabou sendo atingido.

De acordo com o chefe de investigações da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Marcelo Haiashi, a polícia ainda está colhendo depoimentos das testemunhas e organizando as informações. “Estamos ouvindo as testemunhas para termos o máximo de informações possível sobre o crime. Ainda não podemos revelar os detalhes da apuração”, disse.

A carga seria levada para a empresa Motorola, em Jaguariúna (SP), mas pertencia à empresa terceirizada Flextronics. A assessoria de imprensa da Flextronics informou que "lamenta o fato [a morte do vigilante durante o roubo de carga] e que está cooperando no que é possível com as autoridades policiais". Já a assessoria da Motorola apenas confirmou que a carga é da Flextronics. O caso foi registrado como roubo pelo 4º Distrito Policial de Campinas e, em seguida, transferido para a DIG. 

Cotidiano