Polícia apreende menores suspeitos de estupro coletivo no PI; líder é preso

Aliny Gama

Do UOL, em Maceió

A Polícia Civil do Piauí informou nesta sexta-feira (29) conseguiu identificar os cinco suspeitos de agredir e violentar quatro adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos, em Castelo do Piauí, região norte do Estado. As jovens estavam tirando fotos em cima de um morro quando foram atacadas pelo grupo.

Quatro dos cinco acusados foram apreendidos quinta-feira (28) e são menores de idade --um deles tem 13 anos. Segundo a polícia, dois dos suspeitos confessaram o crime e apontaram Adão José de Sousa, 40, como o líder do grupo. Ele também foi preso. 

Sousa foi preso no início da noite, na entrada da cidade de Campo Maior, a 105 km de Castelo do Piauí. Segundo o secretário de Segurança do Estado, Fábio Abreu, o acusado estava em um mototáxi quando foi reconhecido por moradores, que acionaram a polícia.

O suspeito ficará preso na Casa de Custódia, em Teresina. Ele também é acusado de assalto a um posto de gasolina, cometido no início do mês em Castelo do Piauí. Nenhum dos acusados constituiu advogado.

O delegado responsável pelo caso, Laércio Evangelista, disse que dois menores contaram que estavam drogados quando atacaram as garotas.

"Eles estavam consumindo drogas no caminho do morro quando avistaram as adolescentes chegando para tirar fotos. Elas foram amarradas em árvores com cordas, agredidas com facas, atacadas e depois jogadas morro abaixo", disse.

Os acusados vão responder por ato infracional correspondente a tentativa de homicídio e podem ficar internados por até três anos, de acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescentes). Porém, o MPE (Ministério Público Estadual) já informou que deverá pedir que seja aplicada uma pena maior aos adolescentes infratores.

Os adolescentes estão custodiados provisoriamente no Complexo de Proteção ao Menor Infrator, em Teresina.

Eles devem ser transferidos para o CEIP (Centro Educacional de Internação Provisória) e para o CEM (Centro Educacional Masculino), onde ficarão por 45 dias aguardando decisão da Justiça sobre as medidas sócio-educativas a serem aplicadas.

Estado de saúde

As quatro adolescentes foram encontradas desacordas, na manhã de quinta-feira, e socorridas para o HUT (Hospital de Urgência de Teresina). A mais velha, que tem 17 anos, está em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Ela sofreu traumatismo craniano, está sedada e com ventilação mecânica.

Segundo o HUT, duas adolescentes já estão respondendo bem aos tratamentos médicos e saíram da UTI. As garotas estão em uma enfermaria isolada, para preservar a privacidade delas. Apenas familiares e equipe médica têm acesso ao local.

A família da quarta adolescente transferiu-a para um hospital particular de Teresina e ela não corre risco de morte.

O governo do Estado informou que está prestando assistência social e psicológica às vítimas e aos familiares, com equipe de assistentes sociais e psicólogas para cuidar do caso.

Nessa quarta-feira, o governo divulgou que está reforçando ações de combate à violência contra a mulher e reforçou apoio às que são vítimas de crimes sexuais.

"Dentre as ações executadas, está a criação de um Núcleo de Atendimento, na Central de Flagrantes, para atender todos os flagrantes relacionados a crimes motivados pela violência contra a mulher e a implementação da primeira Delegacia de Feminicídio do Brasil", informou o Estado.

O presidente da Comissão de Apoio à Vítima de Violência da OAB Piauí (Ordem dos Advogados do Brasil), João Washington Melo, disse que vai acompanhar as investigações e o andamento do processo para cobrar punição aos acusados do crime.

A OAB informou que está a postos para prestar auxílio jurídico às vítimas e seus familiares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos