Operação retira 15 toneladas de lixo em casa de idosa de 80 anos em Maceió

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Recife

  • Prefeitura de Maceió

    Cômodo onde a idosa acumulava toneladas de lixo em Maceió

    Cômodo onde a idosa acumulava toneladas de lixo em Maceió

A Slum (Superintendência Municipal de Limpeza Urbana de Maceió) retirou 15 toneladas de lixo da residência de uma idosa, de 80 anos, localizada no bairro Rio Novo, na capital alagoana. Por conta da quantidade de lixo, a limpeza do imóvel demorou dois dias, nestas quarta e quinta-feira (8).

As 15 toneladas de lixo foram acumuladas durante dez anos, período em que a idosa se mudou para o imóvel. Ela não usava o sistema de coleta de lixo que é oferecido no bairro. Vizinhos relataram que a casa da idosa pegou fogo por duas vezes devido ao acúmulo de lixo, mas ela insistia em continuar guardando o material.

Segundo a Slum, o lixo acumulou por esse tempo todo porque a idosa não permitia a entrada de agentes de endemias no imóvel para verificar a situação. Porém, a limpeza ocorreu depois que vizinhos informaram o problema ao disque limpeza da Prefeitura.

Aproximadamente 10 toneladas de lixo estavam acumuladas no quintal da casa, situação que se agravava porque havia pneus e outros recipientes com água parada, criando um ambiente propício à criação de focos do mosquito Aedes aegypti. Antes do lixo ser retirado, o material foi separado.

Prefeitura de Maceió
Funcionários da Prefeitura de Maceió recolhem lixo acumulado no quintal da idosa

"O que era reciclável, foi encaminhado às cooperativas de catadores que são apoiadas pela prefeitura de Maceió. O que não era reciclável, foi levado para a central de tratamento de resíduos do aterro sanitário da cidade", informou a superintendência.

A idosa não foi multada porque tem problemas mentais. Ela foi levada para um abrigo para receber assistência. Segundo a prefeitura, a idosa morava com um filho, de 44 anos, mas ele teria problemas de alcoolismo e não estava no imóvel durante a limpeza.

A operação ocorreu de forma conjunta com as secretarias de Meio Ambiente e de Ação Social, com apoio da PM (Polícia Militar), porque a idosa não permitia a entrada no local.

Outros casos

Esta é a quarta vez que Slum realiza operações para retirada de lixo acumulado em residências da capital desde o mês de dezembro. Em todos os casos, os proprietários dos imóveis não foram multados por sofrerem transtornos mentais. Eles foram retirados dos imóveis e levados para abrigos municipais durante a limpeza.

O primeiro caso foi registrado em Rio Novo. Foram retiradas 30 toneladas de lixo um imóvel. O segundo, ocorreu no bairro Pinheiro. Foram retiradas 25 toneladas de lixo. O terceiro flagrante foi no bairro Vergel do Lago. Lá, mais 20 toneladas foram retiradas pela equipe de limpeza. Deste total, foi retirada uma tonelada de ossos de animais, que eram recolhidos de um mercado público de Maceió. Os ossos eram guardava nos cômodos pelo proprietário do imóvel.

"O trabalho realizado pela Slum em relação à fiscalização aos locais com lixo acumulado é constante. Agora, com o aumento de casos da dengue e outros doenças causadas pelo Aedes aegypti, iniciamos uma série de ações conjuntas com as secretarias municipais de Saúde e de Proteção ao Meio Ambiente para evitar casos como estes registrados em Maceió, que resultaram no recolhimento de aproximadamente 100 toneladas de lixo", explicou o superintendente da Slum, Jackson Pacheco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos