Idosa tenta sair de carro em assalto, fica presa por cinto e é arrastada no interior de SP

Eduardo Schiavoni

Colaboração para o UOL, em Ribeirão Preto (SP)

  • Reprodução

    A vítima foi socorrida após ser arrastada por carro dirigido em alta velocidade por assaltante

    A vítima foi socorrida após ser arrastada por carro dirigido em alta velocidade por assaltante

Uma mulher de 67 anos ficou presa no cinto de segurança e foi arrastada por ao menos 500 m após um assaltante roubar o carro que o marido dela dirigia, em Serrana, município a 315 km de São Paulo, na região de Ribeirão Preto.

O crime ocorreu no início da noite de sexta-feira (12) e, apesar de perder muito sangue e ter fraturas nas pernas e nos braços, a vítima foi socorrida e não corre risco de morte. A Polícia Civil investiga o caso.
 
Por volta das 18h, Maria Magnólia estava no banco do passageiro do carro, um Prisma prata, e quem dirigia era o marido dela. Ele trafegava pela avenida Deolinda Rosa, quando estacionou em frente a uma pizzaria e saiu do carro para fazer um pedido, deixando a mulher no veículo. Logo depois, um ladrão entrou no carro e disparou em alta velocidade.
 
A mulher, que estava no banco do passageiro, se desesperou e tentou se jogar do veículo em movimento, mas acabou ficando presa ao cinto, que prendeu a perna dela. O assaltante continuou em alta velocidade, arrastando o corpo da mulher por cerca de 500 m. 
 
"A gente percebeu que ela estava sendo arrastada e tentou alertar o motorista, mas ele não parou. Alguns motoqueiros chegaram a acelerar para avisar, mas o motorista acelerou ainda mais", conta o assistente administrativo Augusto Souza Paixão, 28, que estava na pizzaria no momento da ação criminosa.
 

Fuga

Mesmo alertado por motoristas que trafegavam pela avenida, uma das mais movimentadas da cidade, o assaltante não parou. Depois de ser arrastada, a mulher conseguiu soltar a perna do cinto. 
 
O criminoso chegou à rodovia Abrão Assed, que liga Serrana a Ribeirão Preto, e fugiu. Até a publicação desta reportagem, ele não havia sido localizado pela polícia.
 
Pessoas que presenciaram o crime chamaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que realizou os primeiros atendimentos. 
 
A mulher teve partes da pele e dos músculos esfoladas, além de sofrer fraturas nas duas pernas e em um braço. Ela foi enviada à Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas, em Ribeirão Preto, onde segue internada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos