Garota faz ensaio em hospital para lidar com luta contra câncer: "Não queria aceitar"

Eduardo Carneiro

Colaboração para o UOL

  • Carla Caliman/Divulgação

    "Falava que meu cabelo que importava", relatou ela. Hoje, Thamires quer virar exemplo

    "Falava que meu cabelo que importava", relatou ela. Hoje, Thamires quer virar exemplo

Mais que um ensaio fotográfico, uma inspiradora lição de superação: a capixaba Thamires Mageski, de 16 anos, decidiu registrar em fotos a evolução do seu tratamento contra o câncer, descoberto neste ano, para servir de exemplo a outros jovens que têm de enfrentar a doença.

Como muitas garotas de sua idade, Thamires sonhava em fazer um book. Ele inclusive teria sido produzido em 2016, não fosse a incompatibilidade de horários da jovem, que é natural de Itarana-ES, mas estuda numa cidade próxima, e da fotógrafa Carla Caliman.

O ensaio foi então adiado para março deste ano e celebraria o aniversário de 16 anos de Thamires. Mas ele pareceu ficar bem distante de ser realizado quando ela foi diagnosticada com linfoma não Hodgkin.

"Foi um abalo total na minha vida, porque eu não esperava. Não estava querendo aceitar. Falava que não ia me cuidar, que meu cabelo que importava. Cheguei a discutir com as enfermeiras e as médicas. Elas falavam da saúde, e eu falava que não iria perder cabelo", relembra Thamires.

Foi a partir da fé e de muitas conversas com a mãe que a jovem foi assimilando a importância do tratamento. Mais que isso, ela sairia dele ainda mais forte e serviria de exemplo. Thamires contatou Carla, e elas registraram fotos após a primeira sessão de quimioterapia.

"Pensei que não só faria o ensaio, mas que as fotos seriam para ajudar outras pessoas. Quero mostrar para elas que o que importa é nossa saúde, a nossa vida, não o cabelo, ou qualquer outra coisa. Tudo é fase. Tudo passa".

Orgulho da mãe

Thamires está internada há um mês no Hospital Infantil de Vitória - o ensaio foi realizado numa sala de oncologia. A mãe da jovem, Maria Madalena, acompanhou tudo de perto.

"Foi muito emocionante. Nossa intenção na verdade era nem ter esta repercussão. Ela tinha o sonho de fazer um book, mas não conseguimos marcar no ano passado. Aconteceu este incidente, digamos assim, mas ela se fortaleceu e decidiu fazer", conta ela, endossando o pensamento da filha.

"A ideia é passar a força que ela está tendo para outros jovens, adolescentes e crianças que passam por este trauma, que precisam ficar carecas. Muitos se entregam, e estas pessoas precisam desta força que a Thamires está mostrando".

Maria Madalena deixou emprego e família em Itarana para ficar todos os dias com a filha em Vitória. "Não arredo o pé daqui do hospital pra nada. Mas estamos aqui nós duas, firmes e fortes", conta ela, que é casada e tem outra filha, Thais, de 19 anos. Mas quando o ensaio ficou pronto, foi difícil para a mãe conter a emoção.

"As fotos foram num lugar frio, que não tem nada, só remete a coisas tristes. E foi dali que ela conseguiu uma outra visão, uma outra vida. As fotos ficaram maravilhosas. Não tenho nem palavras. Ver estas imagens é muita emoção para uma mãe".

O poder da fotografia

As circunstâncias do ensaio também foram marcantes para a fotógrafa Carla Caliman. "Foi realmente bem diferente fazer o ensaio dentro de um hospital. Teve a limitação do local e tal, mas o mais importante na fotografia são as pessoas, não os lugares", afirma a profissional antes de contar um pouco dos "bastidores" do ensaio.

"São fotos simples, que mostram o jeito descontraído da Thamires. Às vezes falava para ela: 'fecha o olho, respira um pouquinho'. E também perguntava: 'você tem fé? Você tá feliz?' E ela ria, ficou bem espontânea".

Assim como a mãe, Maria Madalena, Carla também usa a palavra "gratificante" ao comentar o resultado das fotos. "É até complicado explicar o poder da fotografia, ainda mais num ensaio como esse. A foto nos permite nos vermos com outro olhar, ajuda na nossa autoestima".

Próximos passos

Thamires enfrentará o tratamento pelos próximos seis meses, e neste período terá outros encontros com Carla para fazer mais registros da sua evolução.

Prestes a receber sua primeira alta no próximo domingo, a vaidosa jovem que cuidou de todos os detalhes da própria maquiagem e figurino no primeiro ensaio está animada para mais flashes. O fato de ter de cortar os cabelos não a incomoda mais, mas sim motiva.

"Na segunda-feira já vou cortar meu cabelo mais curto, para depois ir me acostumando e não ser aquele choque de cortar tudo de uma vez. Pretendo inclusive doar o meu cabelo. Sugeriram que eu fizesse uma peruca com ele, mas já disse que peruca eu não uso (risos)".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos