PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mais de 7.400 alunos ficam sem aula em mais uma manhã de tiroteios no Rio

Do UOL, no Rio

27/06/2017 10h36Atualizada em 27/06/2017 10h57

Mais de 7.400 alunos da rede municipal de ensino estão sem aula, na manhã desta terça-feira (27), por conta de tiroteios em diferentes pontos do Rio de Janeiro.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, os confrontos provocaram a suspensão das atividades em oito escolas, seis creches e dez EDIs (Espaços de Desenvolvimento Infantil) nas zonas norte e oeste da cidade.

A região mais afetada nesta manhã é o conjunto de favelas da Pedreira, em Costa Barros, na Pavuna, zona norte carioca. São 3.259 alunos sem aula.

Por meio de sua página no Twitter, a Polícia Militar informou que o Batalhão de Choque realiza uma operação nas comunidades da Pedreira e do Chapadão. Posteriormente, em nota, a Secretaria de Estado de Segurança informou que uma pessoa morreu em confronto --na versão oficial, a vítima seria um traficante da área.

Até 10h38, quatro pessoas tinham sido presas e um adolescente, apreendido. Os policiais também apreenderam armas e drogas, mas as quantidades não foram divulgadas.

A Secretaria de Estado de Segurança explicou ainda que a ação nas comunidades da Pedreira e do Chapadão mobiliza equipes das polícias Militar e Civil. A operação tem como objetivo o cumprimento de mandados de prisão contra traficantes de drogas e suspeitos de pertencerem a quadrilhas de roubos de carga.

Pânico em creche

Uma das unidades prejudicadas nesta terça é a creche municipal Emília Joana da Fonseca Marques, na Praça Seca, zona oeste carioca. No total, 142 crianças tiveram que ficar em casa.

No mesmo local, na segunda-feira (26), um intenso tiroteio gerou momentos de pânico. Com medo dos disparos, professores alunos ficaram acuados em um corredor, segundo imagens divulgadas em uma rede social.

Em nota, a PM informou ter sido acionada para uma ocorrência de troca de tiros entre criminosos locais e "supostos rivais em uma área de mata". Na versão da corporação, a situação foi controlada após a chegada de homens do 9º BPM (Rocha Miranda).

Durante o confronto, uma mulher e um homem não identificados ficaram feridos por estilhaços de bala. Eles foram atendidos no hospital federal Cardoso Fontes.

Cotidiano