PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Manifestação contra Temer no Rio termina em confronto entre policiais e manifestantes

30.jun.2017 - Manifestantes protestam contra as reformas do governo Michel Temer (PMDB) no Rio de Janeiro - Pilar Olivares/Reuters
30.jun.2017 - Manifestantes protestam contra as reformas do governo Michel Temer (PMDB) no Rio de Janeiro Imagem: Pilar Olivares/Reuters

Do UOL, no Rio

30/06/2017 20h29Atualizada em 30/06/2017 21h32

O ato realizado nesta sexta-feira (30) no Rio de Janeiro contra o governo do presidente Michel Temer (OMDB) e as reformas trabalhista e da Previdência terminou em confronto entre os manifestantes e policiais. O protesto se aproximava do final quando a Polícia Militar lançou bombas de efeito moral, dispersando os participantes. Entre as pessoas que protestavam, havia sindicalistas e dezenas de black blocs.

Ainda não é possível precisar como o confronto começou. Ao menos uma pessoa ficou ferida durante a confusão.

Os manifestantes se reuniram por volta das 17h na Candelária e seguiram em passeata em direção à Central do Brasil, no centro da capital fluminense. 

Havia bandeiras de centrais sindicais e cartazes pedindo a saída do presidente Temer.

A Polícia Militar não divulgou estimativas de público. Pouco antes de saírem da Candelária, manifestantes queimaram um boneco que simbolizava o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), que era chamado de ladrão.

Pela manhã, os protestos provocaram ao menos 69 km de engarrafamento. O acesso ao aeroporto internacional Tom Jobim pela avenida Vinte de Janeiro também foi fechado por manifestantes. Integrantes dos movimentos sindicais também protestam dentro dos dois aeroportos da cidade do Rio, mas sem atrapalhar a operação dos voos. O transporte público no Rio de Janeiro funciona normalmente.

Cotidiano