Internos de fundação tentam matar adolescente que teria confessado morte de família no RS

Luciano Nagel

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre (RS)

  • André R. Herzer/Jornal Ibiá

    Casa incendiada após o assassinato de mãe e duas filhas no interior do RS

    Casa incendiada após o assassinato de mãe e duas filhas no interior do RS

Um dos adolescentes que teria confessado participação no assassinato de uma mulher e duas filhas em Capela de Santana (RS) sofreu uma tentativa de homicídio dentro das instalações do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) em Novo Hamburgo, na Grande Porto Alegre. O crime ocorreu na noite de quinta-feira (12).

De acordo com o delegado Rogério Baggio, dois outros adolescentes que cumprem medida socioeducativa tentaram estrangular o menor, de 17 anos. "A dupla usou uma camiseta molhada para sufocar a vítima e um cadarço de tênis para asfixiá-lo. A briga ocorreu dentro do dormitório do Centro de Atendimento Socioeducativo e foi apartada pelos agentes da instituição", afirma o delegado.

A Polícia Civil instaurou um inquérito e tem autorização judicial expedida pela Vara da Infância e Juventude de Novo Hamburgo para ouvir os suspeitos e a vítima. O documento foi expedido pela Justiça na sexta-feira (13). As causas do crime ainda não estão esclarecidas, mas o delegado acredita que possa ter sido uma represália. "Acredito que possa ter sido uma represália pelo fato de o adolescente estar envolvido naquele crime de Capela de Santana, onde foi morta uma mulher e duas crianças", finalizou.

O UOL tentou contato com a direção do Centro de Atendimento Socioeducativo, que não atendeu aos chamados.

O assassinato da mulher e das duas filhas ocorreu na segunda-feira (9), em Capela de Santana (60 km de Porto Alegre). A casa onde a mãe e as duas filhas moravam foi incendiada, sem que elas pudessem escapar,

As vítimas foram identificadas como Rosilei Hanauer, 33, Sabrina Lima, 11, e Vitória Hanauner, de um ano e sete meses. A Polícia Civil apreendeu dois adolescentes, ambos com 17 anos, que seriam, segundo eles, responsáveis pela tragédia. Um deles foi apreendido em um supermercado; o outro, dentro de uma residência. A dupla teria confessado o crime à polícia.

De acordo com a Polícia Civil, os dois adolescentes tinham como objetivo tomar conta da residência, e a vítima se negava a entregar o imóvel. Rosilei foi estrangulada, assim como as duas meninas. Após o crime, a dupla teria ido de automóvel até a cidade vizinha de Portão, onde parou, segundo os policiais, em um posto de combustível para comprar gasolina para atear fogo na casa das vítimas. Na noite do incêndio, outro filho de Roseli, Jackson Lima, de 9 anos, estava na casa dos avós, que residem no mesmo município. Os adolescentes apreendidos foram encaminhados ao Poder Judiciário para internação em Novo Hamburgo. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos