PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

"Dia perfeito", escreve ciclista pouco antes de ser morto em tentativa de roubo

Marco Aurélio Boettier, o Marquinhos Boettier, cantando sertanejo - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Wanderley Preite Sobrinho

Colaboração para o UOL

28/11/2017 16h26

“Pedal da tarde... dia perfeito!!!” Quando postou essa mensagem no Facebook, às 17h de segunda (27), o ciclista e músico Marco Aurélio Boettier, de 30 anos, mal poderia imaginar que aquele “dia perfeito” acabaria mal uma hora depois. Vítima de latrocínio, o rapaz que sonhava com a carreira de cantor sertanejo tomou um tiro no tórax ao reagir a dois suspeitos que tentaram levar sua bicicleta.

Marquinhos, como gostava de ser chamado, tirou a tarde de segunda para fazer uma das coisas que mais gostava: pedalar. Morador de Sapucaia do Sul, na Grande Porto Alegre, ele subiu em sua bicicleta, avaliada em R$ 1.200, e foi dar um passeio na cidade vizinha de Ivoti, conhecida de ciclistas que procuram montanhas para se aventurar.

“Na volta para casa, por volta das 18h, ao passar por São Leopoldo, ele foi abordado por dois jovens que anunciaram o roubo, mas ele reagiu”, contou ao UOL o delegado Rodrigo Zucco, responsável pelo caso. “Ele deu um soco na boca de um dos assaltantes. O que estava armado respondeu desferindo um tiro que pegou na lateral do corpo, perto das costelas, do coração e pulmão.”

Depois do tiro, os dois fugiram sem levar nada. “Um motorista que vinha no sentido contrário assistiu à tentativa de roubo e acertou um dos assaltantes com o carro, mas não conseguiu pará-lo”, diz o delegado. “Marco foi socorrido, mas morreu no hospital.”

De acordo com Zucco, a região em que o crime foi cometido é bastante perigosa. “Os assaltantes correram para dentro de uma vila conhecida por ser um ponto de venda de drogas e onde usuários consomem crack.” Desde o crime, o delegado vem interrogando algumas pessoas. “Já temos dois suspeitos, mas estamos aguardando depoimentos para tentarmos identificar.”

Músico

O hobby de Marquinhos era pedalar, mas sua paixão era a música. Fã de duplas sertanejas, costumava se apresentar em bares na região em que morava. “Ele tinha uma apresentação hoje em São Leopoldo. Sapucaia é grudada, faz divisa. Acho que ele quis fazer aquele percurso para tirar fotos na cidade e divulgar sua apresentação. Ele estava a uns 20 km de casa”, estima o delegado.

O rapaz, que deixa uma namorada, pedalava sozinho quando foi abordado. “Ele avisava os amigos que se alguém tentasse roubá-lo, ele iria reagir. A bicicleta vale R$ 1.200, a câmera mais uns R$ 700. Ele perdeu a vida por R$ 2 mil, mas poderia ser R$ 20 mil: nunca reaja a um roubo.”

 

Cotidiano