Jovem aceita carona de conhecido e é estuprada e morta no PR

Eduardo Carneiro

Colaboração para o UOL

  • Facebook/Reprodução

Uma jovem de 26 anos foi estuprada e morta depois de aceitar pegar uma carona com um conhecido na noite do último domingo. A Polícia Civil de Uruarama, noroeste do Paraná, localizou o suspeito do crime, um cobrador de ônibus de 33 anos que confessou a autoria e está preso desde a tarde de terça-feira (5).

De acordo com informações da polícia ao UOL, Gisele Luzia Aparecida de Lima aguardava um ônibus no ponto próximo a um posto de combustíveis em Nova Olímpia, cidade da região, para retornar ao município de Maria Helena, onde residia. Foi então que o autor do crime lhe ofereceu a carona.

"Eles se conheciam, até porque moram na mesma cidade, que tem cerca de 15 mil habitantes. E nestas cidades é normal as pessoas oferecerem carona, ao invés de esperarem o ônibus", explica Milton Cinque, superintendente da Polícia Civil de Uruarama, que acompanhou o caso.

Leia mais

"Neste caso específico, o autor parou no posto de combustível e simulou ter ido comprar uma Coca-Cola na pizzaria em frente, aparentando normalidade e simulando uma situação normal. Ao retornar, disse à vítima que iria para Maria Helena e ofereceu carona, e ela aceitou".

Cinque conta que o autor do crime, cuja identidade não foi revelada, desviou o caminho assim que saiu do posto e seguiu para um canavial distante entre 10 e 15 km de onde os dois se encontraram. No local, ele cometeu o estupro e matou a vítima.

"A todo momento no percurso ele dizia que estava armado para subjugá-la. Depois de cometer a violência sexual, temendo que ela o denunciasse à polícia, pois o conhecia, cometeu o homicídio e a ocultação do cadáver", afirma o superintendente.

A forma como o crime ocorreu choca pela crueldade. O cobrador primeiro teria atingido Gisele com uma facada, mas a jovem conseguiu se soltar. O autor, então, usou o macaco hidráulico do carro para golpeá-la na cabeça antes de abandoná-la no matagal.

A Polícia Civil de Uruarama assumiu a investigação e elucidou o caso em poucas horas, com a ajuda de câmeras de segurança do posto de combustível e do depoimento de testemunhas.

O cobrador foi encontrado pela polícia na tarde de terça-feira (5) e assumiu a autoria do crime, inclusive informando o local em que deixou o corpo. Ele está preso em local não divulgado pelas autoridades por questões de segurança.

Comoção e indignação nas redes sociais

Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram a morte violenta de Gisele, com muitos alterando suas fotos para o símbolo de luto e prestando homenagens em mensagens. "O anjo mais lindo da Terra agora é o anjo mais lindo do céu. Te amarei eternamente", postou uma irmã da vítima.

Gisele trabalhava desde o ano passado como colaboradora de uma empresa agropecuária de Umuarama, que inclusive manifestou nota de luto e pesar em sua página no Facebook, mas seu verdadeiro sonho era se tornar cantora profissional – ela também tocava violão e se apresentava em bares e eventos da região. No último domingo (2), teria ido de Maria Helena à Nova Olímpia visitar a mãe, que mora no município.

Em meio à comoção, muitos conhecidos da jovem também usaram as redes sociais para cobrar Justiça. "Até que ponto pode chegar a maldade humana", questiona uma amiga. "Chega de impunidade. Um monstro assim não pode conviver em sociedade", afirma outra.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos