Sem policiamento nas ruas, RN enfrenta mais uma madrugada de ataques

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

  • Divulgação

    Loja teve porta arrombada e foi saqueada em Natal, RN

    Loja teve porta arrombada e foi saqueada em Natal, RN

Natal e cidades da região metropolitana e do interior do Rio Grande do Norte tiveram mais uma madrugada de ataques criminosos. Pelo menos três lojas foram saqueadas  no bairro Cidade Alta, na região central, e Tirol, zona leste.

Há relatos de assaltos a motoristas que trafegavam por volta das 22h, pelo viaduto de Emaús, em Parnamirim (região metropolitana de Natal). Homens armados renderam os motoristas quando eles se aproximavam da barricada.

Criminosos também aproveitaram a falta de policiamento e explodiram a agência do banco Bradesco da cidade de Santa Maria, na região agreste do Estado. Por volta das 2h da madrugada, oito homens fortemente armados chegaram em duas caminhonetes, renderam alguns moradores que estavam nas ruas e seguiram até a agência bancária.

A Polícia Militar foi acionada,  mas informou que não tinha carro e nem efetivo para ir até o local. A Polícia Rodoviária Federal chegou depois do assalto, mas não conseguiu prender os bandidos.

O Estado está sem patrulhamento da PM (Polícia Militar) e com efetivo reduzido da Polícia Civil, que trabalha em regime de plantão. Bombeiros também estão aquartelados.

Agentes penitenciários retornam aos postos de trabalho depois que tiveram o Estatuto de Carreira da Categoria aprovado pela Assembleia Legislativa, que era a maior reivindicação da categoria. Entretanto, o sindicato informou que está em alerta e mobilizados para pressionar o pagamento dos salários atrasados.

As paralisações ocorrem em protesto aos atrasos salariais e do 13°. O governo começou ontem a pagar servidores, inativos e pensionistas que recebem até R$ 2 mil e, nesta sexta-feira, promete iniciar o pagamento dos assalariados de até R$ 3 mil.

Apesar do início dos pagamentos, as categorias não aceitaram o calendário do governo do Estado que vai até o dia 10 de janeiro. Policiais militares, civis e bombeiros se reuniram no início da noite de ontem e decidiram manter as paralisações. As categorias exigem que os salários atrasados e o 13º sejam pagos ainda este ano.

O Rio Grande do Norte recebeu 70 homens da Força Nacional de Segurança Pública para se juntar aos 120 que já estão no Estado para combater ações criminosas. A tropa chegou na noite desta quinta-feira (21) atendendo ao pedido do governo do Estado.

Na tarde de quarta-feira  (20), quando iniciou a paralisação das polícias militar e civil, lojas fecharam com medo de arrastões. Houve correria pelo bairro do Alecrim, região central, na tentativa de moradores saírem logo do centro e irem para casa.

A Força Nacional vem atuando no Rio Grande do Norte desde janeiro, quando aconteceu a rebelião mais sangrenta da história na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, onde 26 presos foram mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos