Cidade do RN em que filho de prefeita foi assassinado recebe reforço policial

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

  • Arquivo pessoal / Facebook

    Alan John Romão Soares, filho da prefeita de São José do Campestre (RN) Alda Romão

    Alan John Romão Soares, filho da prefeita de São José do Campestre (RN) Alda Romão

A cidade de São José de Campestre, localizada na região Agreste do Rio Grande do Norte, recebeu reforço da Polícia Civil e Polícia Militar depois que a prefeita Alda Romão (PSD) e o secretário de Finanças e Tributação do município, Alan John Romão Soares, 36, filho dela, sofreram uma emboscada, na tarde de sábado (23). Soares foi assassinado com vários tiros disparados por homens encapuzados dentro do carro. Até agora, nenhum suspeito do crime foi identificado ou preso pela polícia.

O diretor da Polícia Civil no Interior do Rio Grande do Norte, delegado Lenivaldo Ferreira Pimentel, informou que logo que tomou conhecimento da emboscada, o delegado regional do Agreste do RN, José Carlos de Oliveira, se dirigiu ao município com homens do 6º BPM (Batalhão de Polícia Militar). O número de policiais não foi informado por medida de segurança.

"As diligências continuam com a delegacia regional, mas na terça-feira, após o feriado, quem vai assumir a investigação será o delegado titular de São José de Campestre, Jaime Groff. Não descartamos nenhuma linha de investigação", informou o delegado.

Pimentel disse que não descarta que Alda Romão também seria alvo dos criminosos. Entretanto, na emboscada, ela saiu ilesa. O filho dela foi atingido por tiros enquanto levava a prefeita para inauguração de obras de pavimentação alusivas aos 69 anos de emancipação de São José de Campestre.

Segundo Pimentel, os criminosos fugiram, mas não se sabe se seguiram para a região central do Estado ou para a Paraíba, uma vez que a cidade é perto da divisa dos dois Estados. A Polícia Civil do RN pediu auxílio ao núcleo de inteligência da polícia civil da PB para investigar se os assassinos estão no Estado vizinho.

O enterro de Alan John Romão Soares ocorreu por volta das 16h, no cemitério Morada da Paz, localizado do município de Emaus. O corpo dele foi começou a ser velado às 2h desta madrugada, logo após ser liberado pelo Itep-RN (Instituto Técnico-Científico de Polícia), onde foi submetido a necropsia.

A prefeitura decretou luto de três dias pelo falecimento de Santos. A prefeita Alda Romão publicou uma mensagem homenageando o filho e destacando sua trajetória de vida. Alda Romão afirmou que "a dor é grande. A dor é na minha alma", se referindo à morte trágica do filho. Devido ao abalo emocional, ela não prestou depoimento oficial ainda.

O município comemorou ontem 69 anos de emancipação política, mas, com o assassinato de Soares, a prefeitura cancelou as festas alusivas ao aniversário da cidade.

Desde a última quarta-feira (20), as policiais civil e militar, além de homens do corpo de Bombeiros, estão trabalhando com efetivo reduzido em protesto ao atraso de salários e do 13º. O governador Robinson Faria (PSD) não consegue honrar com os salários dos servidores em dia e, na última semana, pediu ajuda do governo federal para efetuar os pagamentos. O cronograma segue até o dia 10 de janeiro de 2018, mas as categorias não aceitam a demora e exigem que o pagamento ocorra ainda este ano.

Na noite de quinta-feira (21), 70 homens e mulheres da Força Nacional de Segurança Pública desembarcaram em Natal para reforçar o patrulhamento na capital e região metropolitana. O grupo se juntou a 120 homens que estão no RN desde a rebelião ocorrida na Penitenciária de Alcaçuz, quando 26 presos foram assassinados, em janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos