PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Pelo 4º dia seguido, chuva forte causa alagamentos em São Paulo

Via da zona sul da capital paulista fica embaixo d"água devido à chuva - Reprodução/GloboNews
Via da zona sul da capital paulista fica embaixo d'água devido à chuva Imagem: Reprodução/GloboNews

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

30/03/2018 16h55Atualizada em 30/03/2018 18h47

Pelo quarto dia seguido, São Paulo registra alagamentos devido à forte chuva que atinge a capital, causando transtornos para quem ficou na cidade neste feriado prolongado de Páscoa.

A zona sul é a região mais atingida pela chuva nesta Sexta-Feira Santa (30). Segundo o Corpo de Bombeiros, foram registradas na região 25 ocorrências por queda de árvores até o momento. Outras 13 ocorrências foram registradas para o resgate de pessoas que estavam em locais atingidos por enchentes. 

No Jabaquara, a chuva causou o desabamento de uma estrutura em um supermercado. Nos bairros Cidade Ademar e Ipiranga, também na zona sul, vias ficaram alagadas devido ao extravasamento de córregos --os dois bairros ficaram em estado de alerta das 16h às 17h. Ninguém ficou ferido.

Vias importantes da capital como as avenidas das Nações Unidas, Interlagos e Guido Caloi, na zona sul, a avenida Brasil, na zona oeste, e avenida dos Bandeirantes, na zona sudeste, apresentaram pontos de alagamento.

Foi registrada a queda de granizo nos bairros do Brooklin, às 15h42, e no Campo Belo, às 15h49.

Em Itapecerica da Serra, região metropolitana de São Paulo, um homem que trabalhava na escavação de um poço artesiano foi soterrado devido a um deslizamento de terra. Ele sofreu uma fratura na perna direita.

Bombeiros socorrem homem soterrado em Itapecerica da Serra

Band Notí­cias

O capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, explica que as precipitações que vêm atingindo a capital paulista nos últimos dias permanecem em pontos isolados, causando muito estrago nessas regiões devido à intensidade do vento e da própria chuva.

Ele diz, ainda, que a maior parte das ocorrências de resgate acontecem nos primeiros 30 minutos de chuva, quando as pessoas são geralmente pegas "de surpresa" por alagamentos ou pela formação de bolsões de água nas vias.

"A dica dos Bombeiros é: se acontecer de novo, amanhã ou por esses dias, uma chuva forte, com formação de nuvens escuras, que as pessoas tentem segurar a sua saída por pelo menos 30 minutos. Depois da chuva, a água tende a escoar", diz o capitão.

A zona leste, o centro, a zona oeste, a zona sul e a zona sudeste da cidade permaneceram em estado de atenção até as 17h28.

Segundo meteorologistas do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas), a tendência é de chuvas na parte da tarde nos próximos dias deste feriado de Páscoa. Isso porque o fluxo de ar quente e úmido da região norte do país deve reforçar as instabilidades --principalmente no fim de semana.

Para o sábado (31) e para o domingo (1º), há previsão de chuva forte, acompanhada de descargas elétricas e eventualmente rajadas de vento. Os temporais localizados devem acontecer no fim da tarde. Ainda de acordo com o CGE, o solo encharcado aumenta o potencial para a queda de árvores e formação de alagamentos.

Cotidiano