PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mãe biológica some com filha após visitar casa dos pais adotivos em MS

Maiza, de seis anos, está desaparecida desde o dia 30 de junho - Reprodução/Facebook
Maiza, de seis anos, está desaparecida desde o dia 30 de junho Imagem: Reprodução/Facebook

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL

31/07/2018 19h34Atualizada em 31/07/2018 20h12

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul ainda procura Maiza Valentina Mattos Camargo, de seis anos, que está desaparecida desde o 30 de junho, após passar um final de semana com a mãe biológica, em Bela Vista (MS). A suspeita era de que Gleice Mara Dias teria fugido para Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá (MT), onde mora sozinha. Porém, desde então, não foi mais vista.

O servidor público João Gomes Carvalho e a coordenadora pedagógica Jane Carvalho adotaram Maiza há quatro anos. A guarda da criança, segundo os pais adotivos, foi obtida após Gleice dizer que iria se mudar para Portugal e que não poderia cuidar mais da menina.

"O pai biológico de Maiza é irmão da minha esposa Jane. Em fevereiro de 2014, Gleice fez contato telefônico conosco, por telefone, dizendo que havia se separado do marido e que tinha devolvido suas duas filhas mais velhas à família paterna e que havia nos escolhido para adotar Maiza por sermos tios. Disse mais: caso não aceitássemos, a daria a qualquer família que quisesse", explicou o pai adotivo João Carvalho.

Leia mais:

Os pais adotivos conseguiram a guarda definitiva da criança em outubro de 2017. Mas, no início deste ano, a mãe biológica procurou a Justiça para revogar a decisão e ter a filha de volta, o que foi negado em primeira instância. Mesmo assim, entrou com um processo para ter o direito de visitar a menina. O pedido foi aceito e a primeira visita autorizada foi no dia 30 junho, quando sumiu com Maiza.

"A Gleice só entrava em contato por mensagens no celular e raras vezes ligações. Nestes quase cinco anos que Maiza está conosco, ela esteve com a menina somente cinco vezes e por algumas horas. Sempre alegou que impedíamos as visitas, mas nunca as fez espontaneamente", alega o pai.

Gleice, acompanhada de uma advogada, buscou a criança na casa dos pais adotivos no dia 30 de junho. A promessa é de que se hospedaria em uma pousada da região e no dia seguinte, iria devolver a menina. No entanto, quando João e a mulher foram buscá-la, foram informados de que a mãe biológica já havia deixado o local.

Ao UOL, a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul informou que tem trabalhado em conjunto com a de Mato Grosso para buscar informações sobre a garota. Já a Justiça de Mato Grosso do Sul determinou que a permissão das visitas de Gleice seja suspensa.

Desde o início da semana, a família está em Mato Grosso para tentar encontrar a filha. "Estamos arrasados. Até o momento nenhuma notícia, situação muito angustiante por não sabermos em que condições está a Maiza. O que queremos é Maiza de volta e que o Estado cumpra a sua parte em dar segurança", desabafou o pai.

Cotidiano