PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Modelo e ex-miss é encontrada morta com 32 facadas após festa rave no Pará

Modelo foi encontrada com 32 perfurações e lesões em todo o corpo - Reprodução/Facebook
Modelo foi encontrada com 32 perfurações e lesões em todo o corpo Imagem: Reprodução/Facebook

Rafael Pezzo

Colaboração para o UOL

19/09/2018 17h08

A Polícia Civil do Pará encontrou na manhã desta terça-feira (18) o corpo da modelo Mara da Conceição Castro, de 29 anos, em uma área de mata do município de Marituba, na região metropolitana de Belém, com 32 perfurações feitas com faca após sair no sábado (15) para uma festa rave. Conhecida profissionalmente como Mara Monnarca, ela chegou a representar o distrito de Mosqueiro, onde morava, no concurso Miss Pará em 2012.

Segundo as autoridades, Mara foi achada por moradores de uma ocupação no local. Ao UOL, o delegado Luiz Antonio Mendes de Souza, responsável pelo caso, informou que, além das facadas, ela tinha lesões feitas com pedaços de pau. No entanto, Souza afirmou que não foram encontrados sinais de estupro.

De acordo com Meg Castro, irmã da vítima, que fez o reconhecimento do corpo, o laudo do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC-RC) entregue à família apontou as 32 facadas na região do tronco e da cabeça, além de traumatismo craniano. "Estamos em choque ainda. Prefiro até pensar que ela não morreu, que ela está por aí, passeando, como ela gostava muito de fazer", disse Meg.

Leia mais:

À reportagem, a irmã disse que Mara passou a semana passada toda com a família e avisou que, no sábado (15), iria a uma festa rave em Marituba. "Ela adorava essas festas. Como ela ia e passava até três dias fora, não nos preocupamos. Tanto é que, quando começou a surgir a informação de que haviam achado um corpo por lá, nem passou pela nossa cabeça que seria ela", afirmou. "Só ontem [terça-feira], depois que colocaram uma foto do cadáver em um grupo de WhatsApp da vizinhança, eu a reconheci pela tatuagem e me desesperei."

Em depoimento à polícia, a mãe da vítima, Rita da Conceição Castro, e Meg informaram que Mara era usuária de drogas. "Acreditamos que ela começou a usar há uns três anos, em uma dessas festas. Isso até afetou um pouco a carreira como modelo, ela não era mais chamada para fotos ou entrevistas havia uns dois anos", disse a irmã. "Acho que isso foi uma decepção muito grande para ela, então se jogou de vez nesse mundo."

Além da relação das drogas com o crime, a outra linha de investigação, segundo o delegado, apura o envolvimento de um ex-namorado de Mara, que atualmente está preso. À polícia, as familiares relataram que ele ameaçava a modelo caso eles não reatassem, além de ter um histórico de violência. "Ele batia muito nela, mas não sabemos a motivação, se era por maldade ou se estava sob efeito de drogas. Não sabíamos muita coisa sobre esse relacionamento dela", afirmou Meg.

Mara Monnarca deixa uma filha de cinco anos. "Ela já procurou pela mãe. Não demonstra que esteja abalada, mas é impossível saber o que se passa na cabeça de uma criança em momentos como esse", declarou a irmã. 

Cotidiano