Topo

Líder de Israel diz que vai enviar missão de ajuda a Brumadinho em 24 horas

Isac Nóbrega/Presidência da República
26.jan.2019 - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) conversa por telefone com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, do Palácio da Alvorada, em Brasília Imagem: Isac Nóbrega/Presidência da República

Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

2019-01-26T15:30:05

26/01/2019 15h30

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse neste sábado (26) que vai enviar, dentro de 24 horas, uma missão para ajudar na busca dos desaparecidos em decorrência do rompimento de uma barragem da mineradora Vale, em Brumadinho (MG).

Ele não deu mais detalhes sobre como será a atuação dessa missão ou que tipo de ajuda ela prestará. 

De acordo com o último boletim divulgado pelas Forças Integradas de Segurança de Minas Gerais, 299 pessoas continuam desaparecidas e 11 mortes já foram confirmadas. Outras 176 pessoas encontradas com vida, e 23 delas estão hospitalizadas.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) havia anunciado pelo Twitter, que Netanyahu ligou oferecendo ajuda e que ele aceitou. 

"Aceitamos e agradecemos mais essa tecnologia israelense a serviço da humanidade", anunciou Bolsonaro na rede social. Netanyahu compareceu à posse no último dia 1º.

O presidente também não forneceu qualquer detalhe sobre a "tecnologia israelense" ou como ela será usada no desastre ocorrido em Minas Gerais. Brumadinho fica na região metropolitana de Belo Horizonte.

Questionada pela reportagem, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto disse não ter mais informações, referindo-se apenas ao que o presidente declarou no Twitter.

No momento da ligação, Bolsonaro estava acompanhado por pelo menos quatro pessoas, que aparecem em fotos divulgadas pela Presidência da República. Uma delas é seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Outra é o assessor especial para assuntos internacionais, Filipe Martins.

No retorno a Brasília depois de viajar até Brumadinho e sobrevoar a área atingida, Bolsonaro concedeu uma breve entrevista coletiva na entrada do Palácio da Alvorada e disse que receberia naquele momento o telefonema de Netanyahu.

"Ele estará oferecendo aí ajuda, com base em tecnologia para buscar desaparecidos", disse o presidente.

Mais Cotidiano