Topo

Fim do horário de verão: nova rotina dos brasileiros é uma das causas

iStock
Imagem: iStock

Pedro Graminha

Do UOL, em São Paulo

06/04/2019 04h01

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou ontem que não haverá horário de verão na temporada 2019-2020. Como justificativa, citou mudança na rotina dos brasileiros e mais dois argumentos.

A decisão, disse o presidente, foi baseada em "estudos técnicos que apontam para a eliminação dos benefícios" da implantação do horário de verão. Entenda:

1. Nova rotina = menos economia

O presidente citou um relatório do Ministério de Minas e Energia que avalia a quantidade de energia economizada no ciclo 2018-2019. Nos últimos anos, os resultados mostraram-se quase nulos.

Mas se o horário de verão era vantajoso antes, por que deixou de ser agora? Mudanças na rotina dos brasileiros estão entre os fatores.

Explica-se: com mais trânsito e cargas maiores de trabalho, as pessoas chegam mais tarde em casa. E os horários de trabalho também são menos uniformes do que antes - quando uma grande massa de trabalhadores voltava para casa entre 17h e 18h.

Chegando em casa por volta desse horário, é possível aproveitar ainda alguns minutos de claridade, o que levaria a certa economia de energia.

Agora, ao retornar para casa às 20h, por exemplo, mesmo com o horário de verão, é necessário acender as luzes, e a economia com o horário alternativo se desfaz.

2. Lâmpadas mais eficientes e mais ar-condicionado

Outro fator que pesa é a maior eficiência das lâmpadas. Com isso, a fatia da iluminação dentro do gasto de energia diminuiu - e, consequentemente, a economia decorrente dos dias que escurecem mais tarde se torna menor.

Além disso, segundo informações do Ministério de Minas e Energia, aumentou a presença de aparelhos de ar-condicionado nos lares e empresas brasileiras. E o horário de verão tem pouca influência sobre esse uso.

3. Gosto pelo horário de verão

O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, também disse que Bolsonaro levou em conta uma pesquisa que indica que 53% dos entrevistados são a favor de acabar com o horário de verão.

A pesquisa teria sido feita pelo ministério de Minas e Energia, mas não foi divulgada.

Desde quando existe o horário de verão?

O horário de verão brasileiro foi adotado pela primeira vez em 1931, com a finalidade de economizar energia elétrica nos meses mais quentes do ano. Desde 1985, vem sendo estabelecido continuamente.

Com a eficiência econômica da medida decaindo a cada ano, a interrupção do horário já havia sido considerada: o presidente Michel Temer, por exemplo, flertou com a ideia, mas a abandonou devido a instabilidades políticas de seu mandato.

Quanto o Brasil economiza com o horário de verão?

Dados fornecidos pelo ministério mostram que, no período de 2013 a 2016, a redução nos valores economizados foi constante, indo de R$ 405 milhões a R$ 147, 5 milhões.

Em relação aos dados de 2017, o MME informou que os resultados 'beiravam a neutralidade' para o setor elétrico. O UOL solicitou os valores estimados de economia do horário de verão 2018-2019, mas a pasta informou que os estudos estão sendo refeitos, mas acredita-se que a tendência do ano anterior seja mantida.

Horário de verão: amor e ódio

Além das questões numéricas, o horário de verão é visto com incômodo por muita gente, ao mesmo tempo que é recebido como um dos melhores momentos do ano por outros.

Os amantes da medida veem as horas a mais de sol no final da tarde como uma oportunidade de aproveitar o dia, seja em parques, praças ou praias. Muita gente também se sente mais seguro na hora de voltar para casa, com maior claridade.

Para os críticos do horário de verão, a medida causa confusão e cansaço.

Nas redes sociais, o suposto fim do horário de verão gerou reações:

Deixe sua opinião na enquete abaixo:

O horário de verão no Brasil deve acabar?

Resultado parcial

Total de 72829 votos
63,48%
34,15%
2,37%
Total de 72829 votos

Valide seu voto

Mais Cotidiano