Topo

Família busca menina de 6 anos desaparecida há 3 dias em Mongaguá (SP)

Arquivo de família
A menina Kauane Cristhiny Soares Rodrigues, de 6 anos, que está desaparecida Imagem: Arquivo de família

Luciana Quierati

Do UOL, em São Paulo

2019-04-20T14:38:36

2019-04-20T17:39:48

20/04/2019 14h38Atualizada em 20/04/2019 17h39

Familiares e a Polícia Civil da Baixada Santista, litoral de São Paulo, estão mobilizados em busca da menina Kauane Cristhiny Soares Rodrigues, 6, que desapareceu na madrugada de quarta-feira (17) em Mongaguá.

De acordo com a mãe, Daiana Soares de Lira, a criança sumiu de dentro de casa enquanto dormia. Ela descobriu a ausência da filha quando foi até o quarto e não a viu na cama.

A mãe relatou à polícia que Kauane dormia, na companhia de um dos irmãos, no andar do meio do prédio de três pisos onde a família mora. O quarto, segundo Daiana, não possui chave para trancar a porta.

A polícia investiga se a criança, por algum motivo, levantou da cama e saiu sozinha de casa.

Imagens de câmeras de segurança de um prédio vizinho e da prefeitura (veja abaixo) obtidas ontem mostram uma pessoa atravessando sozinha a avenida Governador Mario Covas Júnior, onde fica a casa em que ela mora.

Ela anda em direção da orla até sair do enquadramento das câmeras. Segundo a polícia, a família teria confirmado se tratar de Kauane nas imagens. Ela estaria vestida com uma blusa cor-de-rosa e uma calça lilás naquela noite e madrugada.

Imagens mostram pessoa atravessando avenida em direção à praia

UOL Notícias

Buscas pela cidade

Na manhã e começo da tarde de hoje, parentes e amigos percorreram ruas do bairro Parque Marinho, onde a família mora, colando cartazes com a foto da menina. Um grupo foi criado no WhatsApp para troca de informações.

Sheila Aparecida Lira Soares, tia de Kauane, disse acreditar que a menina não tenha tentado entrar no mar e possa estar com alguém que a encontrou vagando.

"Ela gostava da água, mas só entrava [no mar] acompanhada da gente, e tinha muito medo do escuro. Ela deve estar com alguém ou perdida", afirmou Sheila.

Essa também é a hipótese com a qual a polícia trabalha no momento, segundo o delegado responsável pelo caso, Francisco Antonio Wenceslau, titular do 2º DP de Mongaguá.

Ele disse que já foram ouvidos familiares, testemunhas e o padrasto de Kauane, com quem a mãe, a princípio, achava que a menina pudesse estar.

"Ele ficou desesperado quando soube [do desaparecimento] e até começou a ajudar nas buscas. Inicialmente, não vemos vínculo dele com o sumiço", declarou o delegado, que, no entanto, não descarta nenhuma outra linha de investigação.

Segundo Wenceslau, policiais civis e guardas municipais passarão o fim de semana atrás de pistas sobre a menina, inclusive de outros vídeos que possam ajudar na localização. Cães farejadores poderão ser incluídos nas buscas.

Kauane é uma dos quatro filhos de Daiana e todos ocupam o prédio de um restaurante desativado na avenida de frente para a praia. Daiana, que tem sido mantida à base de calmantes, gravou um vídeo na manhã de hoje pedindo ajuda. "Pelo amor de Deus, quero minha filha de volta. Eu nunca ia deixar minha filha sair sozinha", declarou.

Mais Cotidiano