Topo

Homem é morto ao jogar cadeira em ladrão para defender família de assalto

Bruna Alves

Colaboradora para o UOL, em São Paulo

2019-05-17T21:45:14

17/05/2019 21h45

Um homem morreu com um tiro na cabeça depois de arremessar uma cadeira contra um ladrão que assaltava sua família. O caso ocorreu na noite de ontem na cidade de Caiapônia, em Goiás. Até o fechamento deste texto, ninguém havia sido detido.

Daniel da Silva Bueno, 31, que era genro do dono da casa, foi socorrido ao Hospital Municipal da cidade ainda com vida, mas não resistiu ao ferimento.

A família preparava o jantar, por volta das 20h, quando foi surpreendida por uma dupla de assaltantes armados que invadiu a casa em busca de um suposto cofre.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Ramon Queiroz, seis pessoas da mesma família e duas crianças, sendo um bebê de colo, moram na casa e haviam acabado de chegar - mas ninguém percebeu a presença dos criminosos.

"Com 15 ou 20 minutos que eles estavam na área externa da casa preparando o jantar, os dois assaltantes chegaram pelo quintal, anunciaram o assalto e pediram que mostrassem um possível cofre e todo dinheiro que houvesse na casa, sempre com muita violência", disse Queiroz.

A dupla fez a família refém. Bueno, então, pegou uma cadeira e partiu para cima de um dos ladrões, sendo acertado logo na sequência.

O sogro dele também foi atingido com um tiro de raspão na perna, mas foi encaminhado ao hospital e liberado horas depois. Segundo a polícia, não houve mais feridos.

Polícia segue investigando

A Polícia Civil de Caiapônia espera encontrar os assaltantes com a ajuda das imagens da câmera de segurança da casa.

A dupla levou apenas dois celulares das vítimas e fugiu após acertar Bueno. O caso está sendo investigado como latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

Especialista faz alerta

Para a especialista em segurança privada e diretora executiva da ICTS Security, Ellen Pompeu, a reação de Bueno fez com que os assaltantes ficassem ainda mais nervosos.

"Eles queriam concretizar o seu assalto, pegar o máximo de coisas e ir embora. O bandido está numa situação tensa e, a partir do momento que você o acaba agredindo de alguma forma, ele vai te punir. Ele [Bueno] reagiu e foi punido", afirma.

Segundo Pompeu, o recomendado em caso de assaltos é entregar tudo que for pedido, para que os criminosos deixem o local o mais rápido possível e preservem a vida das pessoas. "Ele deveria ter colaborado, não agredido, não reagido", disse ela, que também não recomenda que se tente negociar com os assaltantes.

Mais Cotidiano