Topo

Chacina em bar deixa 11 mortos e um ferido em Belém neste domingo

Reprodução/Redes Sociais
Moradores do bairro Guamá, em Belém, veem movimentação da polícia após chacina em bar deixar 11 mortos e 1 ferido neste domingo (19) Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo*

2019-05-19T18:58:07

2019-05-20T11:52:54

19/05/2019 18h58Atualizada em 20/05/2019 11h52

Uma chacina deixou 11 pessoas mortas e uma ferida em Belém, na tarde de hoje. De acordo com informações preliminares da Polícia Civil por volta das 15h30, todas as vítimas estavam em um bar quando os atiradores chegaram e abriram fogo contra os presentes.

Entre os mortos, havia seis homens e cinco mulheres, incluindo a dona do Bar da Vanda, Maria Ivanilza Pinheiro Monteiro. No início da noite, as outras vítimas ainda passavam por processo de identificação. O bar fica na rua Passagem Jacó, no bairro Guamá, um dos mais populosos da cidade.

O sobrevivente foi levado para um pronto-socorro próximo e, por volta das 18h30, não havia informações oficiais sobre seu estado de saúde. A vítima está sob escolta policial.

De acordo com o que testemunhas relataram à PM, os atiradores teriam chegado em três carros e uma moto, desceram e abriram fogo sem falar nada. Seriam sete suspeitos. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da capital paraense. Até o início da noite, ninguém havia sido preso.

De acordo com Ualame Machado, secretário de Segurança Pública do Pará, em entrevista coletiva pela noite, no local ocorria uma festa na hora da chacina. "Muitas pessoas conseguiram escapar pelos fundos", afirmou. "Quase todas as pessoas foram baleadas na cabeça."

Informações iniciais obtidas pela Polícia Civil dão conta de que a chacina pode ser uma vingança em uma briga entre traficantes ou facções locais ou ainda uma represália de PMs pelo ataque a um policial militar dias antes no bairro Terra Firme, vizinho ao local da chacina. De acordo com a PM, o bar é um conhecido ponto de tráfico e consumo de drogas na região.

* (Com informações da AFP)

Mais Cotidiano