Topo

Morre 12ª vítima de incêndio no Hospital Badim

Novo prédio do Hospital Badim foi inaugurado em 2018 - Divulgação
Novo prédio do Hospital Badim foi inaugurado em 2018 Imagem: Divulgação

Do UOL, no Rio e em São Paulo

16/09/2019 14h27

Morreu na manhã de hoje a 12ª vítima do incêndio no Hospital Badim, ocorrido na quinta-feira (12) no Maracanã, zona norte do Rio de Janeiro. A paciente, uma mulher cujo nome não foi revelado, deu entrada ontem no Hospital Copa D'Or com "sintomas possivelmente decorrentes do incêndio", segundo informou o Badim por meio de nota.

"Ressaltamos que todos os esforços e dedicação das equipes médicas envolvidas foram empenhados para a recuperação da paciente, assim como tem sido feito diariamente no atendimento prestado", diz o comunicado.

Segundo o hospital, 54 pacientes seguem internados em unidades hospitalares públicas e privadas do Rio, assim como dez colaboradores e familiares. "Seguimos acompanhando a evolução do quadro clínico dos pacientes, colaboradores e familiares que deram entrada nas unidades hospitalares do estado", diz o hospital em comunicado.

As 11 vítimas fatais do incêndio identificadas no IML (Instituto Médico-Legal) e liberadas para sepultamento após a tragédia eram idosas, com idades entre 66 e 93 anos.

Análise de gerador e câmeras internas do hospital

Peritos da Polícia Civil analisam o gerador de energia do hospital, que já foi confirmado ter sido o foco do incêndio. No sábado (14), eles levaram da unidade de saúde uma parte carbonizada do equipamento para análise —há uma peça do equipamento que só é possível analisar após a desmontagem (somente a empresa responsável pela manutenção do gerador pode fazer isso).

O delegado Roberto Ramos, titular da 18ª DP e responsável pela investigação, disse que ainda é prematuro afirmar que houve negligência do Badim em relação à manutenção do gerador. "Nós vamos ver toda a parte técnica. Sabemos que o problema foi no gerador. Agora vai fazer o estudo mais aprofundado para saber da manutenção e como se deu esse problema que gerou o incêndio."

Todos os andares afetados pelo incêndio já passaram por perícia.

Imagens de câmeras de vigilância interna do Hospital Badim mostram que funcionários tentaram apagar o incêndio. Os vídeos foram divulgados ontem pelo Fantástico. Nas imagens relevadas pelas câmeras internas, não é possível identificar a presença ou ajuda de uma brigada de incêndio no local.

Questionada pelo UOL sobre o número de brigadistas presentes no hospital no momento do incêndio, a equipe de comunicação do Hospital Baldim declarou por meio da nota que o plano de socorro usado no episódio foi o Plano de Ação e Emergência (PAE) e que havia a presença de brigadistas no local.

"O hospital conta com 30 brigadistas de incêndio. Os dois prédios contam, juntos, com 5 saídas de emergência. O prédio atingido possuía dois geradores e as manutenções preventiva e corretiva eram feitas dentro dos prazos exigidos pelos órgãos competentes. Todas as licenças necessárias para o pleno funcionamento do hospital estavam em dia", disse o hospital.

Câmeras mostram apagão e fumaça em hospital no Rio

bandrio

Mais Cotidiano