PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

RJ: guerra do tráfico deixou 3 mortos; 7 ônibus foram queimados

Marcela Lemos

Do UOL, no Rio

04/10/2019 07h58Atualizada em 04/10/2019 16h05

A Polícia Militar do Rio de Janeiro informou na tarde de hoje que a disputa entre traficantes de facções rivais na noite de ontem no Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na zona norte do Rio de Janeiro, deixou três mortos e três feridos (as identidades das vítimas não foram reveladas). Segundo a PM, equipes do 41º BPM e do Bope atuam na região.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, as escolas não funcionaram hoje. De acordo com o Comando Militar do Leste, um soldado do Exército foi baleado nas costas, na avenida Pastor Martin Luther King, enquanto dirigia seu veículo na noite de ontem. A autoria do disparo está sendo apurada.

4.out.2019 - Ônibus incendiado no Chapadão, na zona norte do Rio. Policiais foram acionados após tiroteios entre traficantes rivais na noite de quinta (3) - JOSE LUCENA/ESTADÃO CONTEÚDO - JOSE LUCENA/ESTADÃO CONTEÚDO
4.out.2019 - Ônibus incendiado no Chapadão, na zona norte do Rio. Policiais foram acionados após tiroteios entre traficantes rivais na noite de quinta (3)
Imagem: JOSE LUCENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Polícia sabia do conflito CV x TCP

De acordo com o delegado Rodrigo Barros, da 39ª DP, dois homens foram presos por porte ilegal de arma de fogo e associação para o tráfico de drogas. Uma pistola foi apreendida.

O confronto começou após traficantes do Complexo do Chapadão, dominado pelo CV (Comando Vermelho), invadir o Complexo da Pedreira, onde atua o TCP (Terceiro Comando Puro).

Ambos os conjuntos de favelas estão localizados em Costa Barros, abrangendo também bairros vizinhos da zona norte do Rio. As avenidas Brasil e Pastor Martins Luther King são as principais vias de acesso às comunidades. O Chapadão concentra ao todo 16 favelas, entre elas, o Morro do Chapadão, Morro do Final Feliz, Morro do Gogó da Êma e Parque Esperança. Já a Pedreira reúne nove comunidades, as mais conhecidas são o Morro da Lagartixa, Morro da Quitanda, Morro da Pedreira e Conjunto da Fazenda Botafogo.

O delegado confirmou que o setor de inteligência da polícia já tinha conhecimento que o conflito entre as facções CV e TCP estava aumentando na região.

"Tínhamos informação de que esse confronto já estava aumentando, mas infelizmente são facções que convivem em espaços muito próximos, e nem nós [Polícia Civil] nem a PM conseguimos fazer uma barreira, são [comunidades] praticamente coladas e isso é um agravante neste caso especifico (...) Havia uma escalada de confrontos que poderiam indicar alguma coisa maior [na região]."

Feridos e metrô fechado

O militar foi socorrido na UPA (Unida de Pronto Atendimento) de Irajá e transferido para o Hospital Getúlio Vargas, onde passa por exames. Ele está consciente e deve ser levado para um hospital militar.

Mais cedo, a polícia informou também que um adolescente foi ferido e que outras quatro pessoas haviam sido levadas para os hospitais Albert Schweitzer e Getúlio Vargas. O estado de saúde dos feridos ainda não foi informado.

Durante os confrontos de ontem, sete ônibus foram incendiados e a estação de metrô Engenheiro Rubens Paiva, na Pavuna, precisou ser fechada por motivos de segurança. A PM também bloqueou vias de trânsito por causa da operação no local.

Cotidiano