PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

PF faz operação contra grupo que fraudou obras na PB; prefeito é preso

Do UOL, em São Paulo

21/12/2019 09h57Atualizada em 21/12/2019 13h34

A Policia Federal faz hoje uma operação contra um grupo suspeito de realizar pagamentos ilícitos e de superfaturar obras no sertão da Paraíba.

São cumpridos 13 mandados de busca e apreensão nas residências e locais de trabalho dos investigados, quatro mandados prisão preventiva e sete ordens de afastamento das funções públicas nas cidades de João Pessoa, Uiraúna e São João do Rio do Peixe, todas na Paraíba, e também em Brasília (DF), no Congresso Nacional. João Bosco Nonato Fernandes (PSBD), prefeito de Uiraúna, foi preso.

A operação foi autorizada pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal. O gabinete do deputado José Wilson Santiago (PTB) também foi alvo de buscas. Há um pedido de Mello para o afastamento do deputado em decorrência das acusações.

As investigações apuram pagamentos de propina decorrentes do superfaturamento das obras de construção da Adutora Capivara, um sistema adutor que deve se estender do município de São José do Rio do Peixe a Uiraúna, no Sertão da Paraíba.

As obras foram contratadas, inicialmente, pelo valor de R$ 24.807.032,95 e já teriam permitido, de acordo com as investigações, a distribuição de propinas no valor R$ 1.266.050,67.

Foi ainda determinada, pelo Poder Judiciário, a indisponibilidade de bens imóveis em nome dos investigados, com o objetivo ressarcir os cofres públicos dos desvios apurados.

Os investigados deverão responder pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, fraude licitatória e formação de organização criminosa, cujas penas, somadas, ultrapassam 20 anos de reclusão.

Cotidiano