PUBLICIDADE
Topo

Suspeito de matar menina de 8 anos em SP é encontrado morto em prisão

A menina Emanuelle, de 8 anos, vista em imagens de câmera de segurança antes de desaparecer no dia 10 de janeiro em Chavantes, no interior de SP - Câmeras de segurança/Arquivo pessoal
A menina Emanuelle, de 8 anos, vista em imagens de câmera de segurança antes de desaparecer no dia 10 de janeiro em Chavantes, no interior de SP Imagem: Câmeras de segurança/Arquivo pessoal

Andréia Martins

Do UOL, em São Paulo

15/01/2020 10h11Atualizada em 15/01/2020 14h55

Resumo da notícia

  • Aguinaldo Guilherme Assunção foi preso ontem, suspeito de matar Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos
  • Segundo a polícia, ele confessou o crime e indicou o local onde estava o corpo
  • Ele foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP), na cidade de Cerqueira César, e foi encontrado morto na madrugada de hoje
  • A Secretaria da Administração Penitenciária informou que ele era o único preso na cela
  • Ao confessar o crime, Aguinaldo disse à polícia que o crime foi uma vingança contra a mãe de Emanuelle

Aguinaldo Guilherme Assunção, suspeito de matar a menina Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, em Chavantes, no interior de São Paulo, foi encontrado morto na manhã de hoje na cela onde estava no Centro de Detenção Provisória (CDP) no município de Cerqueira César.

Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, ele foi encontrado morto por um agente penitenciário por volta das 5h, durante a contagem dos presos. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de suicídio.

Ainda de acordo com a secretaria, Aguinaldo ocupava uma cela sozinho no CDP, separado de outros presos, "devido à grande repercussão" do crime cometido. O local foi isolado para a perícia.

Preso na última segunda-feira, ele confessou ter matado a menina a facadas e indicou à polícia onde estava o corpo, encontrado em uma área rural da cidade, segundo informações da polícia. Ontem, ele passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada.

Emanuelle desapareceu em 10 de janeiro, quando saiu para brincar e não voltou mais para casa.

Aguinaldo era amigo e vizinho da família da vítima. Ao explicar o motivo do crime, ele alegou à polícia uma vingança contra a mãe de Emanuelle, que não deixava a menina brincar com o seu enteado. A polícia ainda investiga se houve algum crime sexual no caso.

Aguinaldo já havia sido condenado e cumprira pena em 1988 por ter assassinado o irmão.

Cotidiano