PUBLICIDADE
Topo

Homem preso por morte da namorada morre em cela; ele teria avisado advogado

Alan dos Reis e Fernanda Souza estavam juntos havia menos de um mês - Arquivo Pessoal
Alan dos Reis e Fernanda Souza estavam juntos havia menos de um mês Imagem: Arquivo Pessoal

Hygino Vasconcellos*

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

23/02/2020 20h04

Alan Pereira dos Reis, 22 anos, suspeito de ter matado a gerente de hipermercado Fernanda Souza Silva, de 33 anos, foi encontrado morto na prisão ontem, na região metropolitana de Goiânia

Conforme a Superintendência de Segurança Penitenciária, ele estava sozinho em uma cela do Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Dois dias antes de ser encontrado sem vida, ele escreveu um bilhete para o advogado Pitter Johnson relatando ameaças e agressões.

"Na verdade, foi uma entrevista com o advogado por escrito. Ele pediu a minha caneta e mesmo algemado escreveu no verso do mandado que entregaram a ele na prisão", conta o defensor, citando que as mensagens foram escritas no verso da decisão pela prisão temporária de Reis.

Inicialmente, o preso escreveu "eles quer (sic) me matar ainda hoje". Intrigado com a afirmação, Johnson perguntou quem iria cometer o crime e questiona quantos estão na cela com ele.

Na sequência, Reis reforça que "eles falaram que se eu contasse ia (sic) me matar ainda hoje" e que "por baixo da roupa estou todo arrebentado." Ainda segundo os bilhetes do homem, os policiais estariam incentivando os outros presos a "acabar" com ele e que teria sido orientado a dizer que teria caído no banheiro, caso alguém perguntasse das lesões.

Segundo o advogado, os dois estavam sozinhos quando o bilhete foi escrito. Naquele momento, Reis estava preso na cadeia de Bela Vista de Goiás e, após as declarações, a defesa dele ingressou com um pedido de transferência na Justiça. A solicitação foi atendida na sexta-feira (21).

Bilhete exibido por Pitter Johnson, advogado de Alan dos Reis, encontrado morto na prisão - Divulgação
Bilhete exibido por Pitter Johnson, advogado de Alan dos Reis, encontrado morto na prisão
Imagem: Divulgação

Em nota, a Susepe informou que "procedimentos administrativos internos foram abertos para apuração da morte de custodiado", que a Policia Civil e perícia foram acionados e que "estiveram na cela onde ocorreu o fato para os trabalhos iniciais de investigação sobre o óbito".

Alan dos Reis confessou crime

Reis confessou ter matado a namorada e inclusive indicou o local onde o corpo dela estava. Segundo a Polícia Civil, o crime teria sido motivado porque a vítima teria chamado os filhos dele de "bastardos". O suspeito deixou quatro filhos.

Fernanda foi morta no dia 12 de fevereiro, na cidade de Bela Vista de Goiás, onde ela morava. O suspeito teria estrangulado a vítima e depois a atingido com pedaços de pau. Em seguida, colocou o corpo no carro dela e seguiu até perto de Caldas Novas (GO). No outro dia, voltou ao local, queimou o corpo e o enterrou na mata.

Na volta a Bela Vista de Goiás, ele escondeu o carro da vítima em uma área de mata fechada, na zona rural. O veículo foi encontrado pela polícia e encaminhado para perícia.

Após o boletim de ocorrência, Reis desapareceu, sendo preso no dia 18 de fevereiro em Marianópolis (TO), quando seguia de ônibus para o estado do Pará. Ele foi detido pois estava com o celular da mulher, rastreado pela polícia.

Reis também estava com duas facas e quase R$ 600. Os dois estavam juntos há menos de um mês.

(*) Com informações de Pedro Paulo Couto

Cotidiano