PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Por cinturão de segurança, RJ proíbe ônibus entre Grande Rio e interior

17.mar.2020 - Passageira com máscara na cidade do Rio de Janeiro - REGINALDO PIMENTA/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO
17.mar.2020 - Passageira com máscara na cidade do Rio de Janeiro Imagem: REGINALDO PIMENTA/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

17/03/2020 14h14

Entre as medidas para conter a transmissão do coronavírus, o governo do Rio de Janeiro proibiu a circulação de ônibus, veículos fretados e vans entre a região metropolitana e os demais municípios do estado. A decisão válida por 15 dias foi publicada hoje no Diário Oficial por meio de uma portaria do Detro (Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro).

De acordo com o decreto, o transporte intermunicipal dentro da região metropolitana continuará em operação com os passageiros podendo ser transportados somente sentados. Já o transporte entre os municípios do interior continuará ocorrendo normalmente. A medida visa a formação de um cinturão de segurança na tentativa de conter a circulação do coronavírus.

Os passageiros com bilhetes emitidos para municípios com restrição, com validade posterior à data da portaria, serão ressarcidos pelas respectivas empresas.

Fazem parte da região metropolitana o Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Magé, Tanguá, Rio Bonito, Guapimirim, Cachoeira de Macacu, Paracambi, Japeri, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Belford Roxo, São João de Meriti, Mesquita, Nilópolis, Queimados, Seropédica, Itaguaí e Petrópolis.

RJ suspende entrada de ônibus de estados com corona

Ainda de acordo com o decreto do governador Wilson Witzel (PSC), fica suspensa por 15 dias a entrada de linhas interestaduais de ônibus com origem em estados que já tenham casos confirmados de circulação de coronavírus ou tenham decretado situação de emergência.

A proibição faz parte de decreto publicado hoje que reconheceu a situação emergencial no estado. O documento não cita, contudo, quais estados foram impactados. De acordo com o Ministério da Saúde, São Paulo tem o maior número de casos da doença.

Procurada, a Rodoviária do Rio informou que tomou conhecimento do decreto e que o terminal já havia tomado medidas como distribuição de álcool em gel, higienização frequente das instalações e locais de uso coletivo assim como informações nas TVs e canais de relacionamento com o cliente.

"Frente à nova determinação, as empresas rodoviárias interestaduais já estão cancelando todas as viagens para outros estados e quem já comprou passagem pode procurar diretamente as viações para o cancelamento e reembolso", informou.

Crivella proíbe passageiros em pé em ônibus

Outra medida já anunciada foi sobre o funcionamento de trens, barcas, ônibus e metrô, que só devem funcionar com 50% da lotação como medida preventiva.

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), anunciou a proibição da circulação de ônibus e BRTs com passageiros em pé na cidade.

Cotidiano