PUBLICIDADE
Topo

PI: Governador justifica 'lei seca': "quando bebe demais se perde o juízo"

Wellington Dias (PT), governador do Piauí - Ascom/Governo do Piauí
Wellington Dias (PT), governador do Piauí Imagem: Ascom/Governo do Piauí

Do UOL, em São Paulo*

15/05/2020 12h05

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), justificou o decreto que proíbe o consumo de bebidas alcoolicas em locais públicos até o próximo domingo no estado como uma forma de evitar efeitos nocivos ao combate à disseminação do novo coronavírus.

Em entrevista à CNN Brasil, Wellington Dias disse que a medida tem como objetivo diminuir o número de acidentes com automovéis - e assim reduzir internações que não sejam por causa da covid-19. Além disso, ele disse que controlar o consumo de bebidas alcoolicas também facilita o distanciamento social.

"A gente está querendo pegar pessoas que estavam em desobediência, pegar pessoas alcoolizadas para evitar acidentes e etc, quando bebe demais aí perde o juízo e daqui a pouco é abraço, é beijo é contaminação... Enfim, quero que nosso povo volte a se abraçar, beijar e comemorar, mas não é o momento. Agora é hora de cuidar da vida, da pessoa e dos outros", disse.

Ontem, o governador anunciou a antecipação do feriado de 19 de outubro para hoje e anunciou que, até domingo, serão aplicadas novas regras de funcionamento de estabelecimentos comerciais e circulação de pessoas. A medida proíbe aglomerações e o consumo de bebidas alccoolicas em locais públicos (veja todas medidas abaixo).

De acordo com o governador, a meta é reduzir a circulação em 600 mil pessoas no Piauí. "Isso ajuda a quebrar a taxa de contaminação. Reduzindo a contaminação, a gente consegue vencer o vírus", disse.

Outras medidas

Até a meia-noite de sábado (16), só poderão funcionar farmácias e drogarias; serviços de saúde; supermercados; padarias; postos de combustíveis; borracharias; serviços de entrega e de segurança e vigilância.

Neste período, também estão autorizadas a funcionar agências bancárias responsáveis por pagar o auxílio emergencial de R$ 600 ou outros benefícios sociais, além dos serviços de telecomunicação, radiodifusão e de imprensa.

Já entre zero hora e a meia-noite de domingo, só poderão funcionar as farmácias, drogarias, serviços de saúde, imprensa, serviços de segurança e vigilância, serviços de entrega de comidas e de autoatendimento bancário; além de borracharias, postos de combustíveis e pontos de alimentação localizados às margens de rodovias.

Durante o domingo, os pontos de alimentação que funcionam às margens das rodovias só poderão atender motoristas em trânsito, e só funcionarão se devidamente autorizados pelo município.

Os serviços de transporte intermunicipal de passageiros, incluindo o serviço de fretamento, serão suspensos da zero hora desta sexta-feira até a meia-noite de domingo. A única exceção prevista é para o caso de veículos de transporte de pacientes em tratamento de saúde. Quem descumprir a norma poderá ter seu veículo retido e será multado, podendo ainda sofrer outras sanções.

Durante as 72 horas de vigência do decreto, só funcionarão os serviços públicos essenciais e responsáveis por atendimentos emergenciais, bem como as vigilâncias sanitárias estaduais e municipais, responsáveis por fiscalizar o cumprimento das medidas, com o apoio de forças policiais.

*Com informações da Agência Brasil

Coronavírus