PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Tiro que matou João Pedro teria entrado pela barriga e se alojado no ombro

João Pedro, de 14 anos, foi assassinado em operação policial no Morro do Salgueiro - Reprodução/Twitter/@_danblaz
João Pedro, de 14 anos, foi assassinado em operação policial no Morro do Salgueiro Imagem: Reprodução/Twitter/@_danblaz

Do UOL, em São Paulo

20/05/2020 23h08

De acordo com informações da perícia preliminar obtida pela TV Globo, a bala que matou João Pedro na segunda-feira (18) perfurou a barriga do menino na altura do estômago e se alojou na escápula — osso localizado no alto das costas, perto do ombro.

A investigação aguarda os resultados do confronto balístico, que deve dizer se o tiro que tirou a vida do garoto de 14 anos saiu de uma das armas apreendidas com os policiais envolvidos na ação: três fuzis e uma pistola. Peritos afirmam que o disparo foi de "alta energia cinética", o que sugere que foi feito por um fuzil.

Os policiais envolvidos já foram ouvidos pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, responsável pela investigação do caso. Eles descartam qualquer relação do adolescente com os criminosos que eram alvo da operação.

A Corregedoria da Polícia Civil também vai apurar a conduta dos oficiais. Dentre as dúvidas que a instituição tenta solucionar, está a decisão da equipe do Saer (Serviço Aeropolicial) de levá-lo para o contêiner do Corpo de Bombeiros, que fica na sede da unidade, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

O Hospital Estadual Alberto Torres, referência no atendimento de baleados, fica em São Gonçalo, bem mais próximo da casa de João Pedro. Os policiais afirmam que levá-lo para ser socorrido no Corpo de Bombeiros "foi uma decisão de momento".

    Cotidiano