PUBLICIDADE
Topo

Doria diz que proibição de viagem aos EUA afetará relação entre os países

João Doria (PSDB) usa máscara antes de entrevista coletiva - ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
João Doria (PSDB) usa máscara antes de entrevista coletiva Imagem: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

26/05/2020 15h49

A proibição da entrada de brasileiros nos Estados Unidos, imposta nesta semana por Donald Trump, pode afetar o relacionamento diplomático e econômico entre os dois países, disse o governador de São Paulo, João Doria.

"Na minha opinião pessoal, até o relacionamento diplomático e econômico com os EUA será afetado pela decisão de Trump", disse à CNN Brasil.

A proibição está programada para entrar em vigor na noite de hoje, às 23h59, e limitará a entrada brasileiros e de outros não-residentes que tenham passado pelo Brasil nos últimos 14 dias.

Doria disse ainda que o presidente Jair Bolsonaro está "minando" sua mensagem e a de outros governadores de alguns dos estados mais atingidos pela pandemia de coronavírus.

"Com o exemplo do presidente do Brasil, tudo é mais difícil para nós", disse ele, acrescentando que, quando as autoridades locais pedem que as pessoas fiquem em casa e usam máscaras, o presidente envia a "mensagem oposta".

"Ele vai às ruas sem máscaras. Um comportamento errado e indicação errada. Isso é muito triste para o Brasil e torna tudo mais difícil [para] os governadores dos estados do Brasil ", disse Doria. "De fato, hoje temos dois vírus para combater no Brasil: o coronavírus e o vírus Bolsonaro."

Doria continuou: "O comportamento do presidente Bolsonaro é o comportamento errado. Ele é contra o isolamento social. Ele é contra a orientação da ciência ", disse Doria, acrescentando que a prioridade deve ser salvar vidas antes de salvar a economia.

Doria negou que o sistema de saúde de São Paulo estivesse quase em colapso no momento, dizendo que os hospitais receberam ventiladores e o apoio necessário e que a situação "está sob controle".

Coronavírus