PUBLICIDADE
Topo

Por isolamento, Câmara de Fortaleza aprova antecipação de dois feriados

24.mai.2020 - Agentes de trânsito montam bloqueio na Av. Santos Dumont, no acesso à Praia do Futuro, em Fortaleza (CE) - João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo
24.mai.2020 - Agentes de trânsito montam bloqueio na Av. Santos Dumont, no acesso à Praia do Futuro, em Fortaleza (CE) Imagem: João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

26/05/2020 15h36Atualizada em 26/05/2020 15h47

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou hoje, por 30 votos a seis, a antecipação dos feriados de Corpus Christi (originalmente em 11 de junho) e Nossa Senhora de Assunção (15 de agosto) para amanhã e depois de amanhã, respectivamente. A medida tem o objetivo de aumentar o isolamento social e, assim, conter o avanço do novo coronavírus.

A proposta foi encaminhada pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT-CE) ontem, tendo sido discutida e aprovada em regime de urgência. Em mensagem à Câmara, Cláudio argumentou que a antecipação dos feriados é medida importante para o enfrentamento da covid-19 na cidade, que já soma 20.146 casos confirmados e 1.687 mortes, segundo último balanço divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado do Ceará.

O projeto agora segue para sanção do prefeito.

Votaram contra a medida os vereadores Jorge Pinheiro (PSDB-CE), Plácido Filho (PSDB-CE), Priscila Costa (PSC-CE), Sargento Reginauro (Pros-CE), Julierme Sena (Pros-CE) e Dummar Ribeiro (PL-CE), segundo o jornal Diário do Nordeste. A principal justificativa é de que a antecipação dos feriados também traria prejuízo a eventos religiosos, como a Caminhada com Maria, que acontece em 15 de agosto.

São Paulo também antecipou feriados

Na semana passada, a cidade de São Paulo também antecipou feriados para estimular o isolamento social: na quarta (20), o Corpus Christi; na quinta (21), o Dia da Consciência Negra (20 de novembro). Ontem, foi a vez de o estado adiantar um feriado —o da Revolução Constitucionalista de 1932, normalmente celebrado em 9 de julho.

Os cinco primeiros dias do "megaferiado", porém, não foram capaz de esvaziar a capital paulista. No melhor dia, justamente ontem, o isolamento social ficou em 55% —nível desejado pela prefeitura. No pior, somente 49% da população obedeceu ao "fique em casa".

Coronavírus