PUBLICIDADE
Topo

Iabas não sabe quando entregará hospitais de campanha no RJ

Finalização de obras no Hospital de Campanha em São Gonçalo, administrado pelo Iabas, no Rio de Janeiro - LUCAS TAVARES/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Finalização de obras no Hospital de Campanha em São Gonçalo, administrado pelo Iabas, no Rio de Janeiro Imagem: LUCAS TAVARES/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 11h30Atualizada em 29/05/2020 13h54

Resumo da notícia

  • O Iabas não tem data para entregar os hospitais de campanha de São Gonçalo e Nova Iguaçu
  • O instituto culpou a suspensão de pagamentos ordenada pelo TCE e a insegurança dos funcionários
  • O Iabas foi contratado para construir sete unidades de campanha para combater o novo coronavírus no RJ
  • Em nota, o Iabas informou que se reunirá hoje com a secretaria estadual de Saúde para definir um novo cronograma
  • Além de suspender o pagamento, o TCE solicitou diversas informações ao Instituto, que prometeu responder

O Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas) não tem data para entregar os hospitais de campanha de São Gonçalo e Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. A instituição atribuiu o adiamento indefinido à suspensão de pagamentos e à insegurança dos funcionários.

O Iabas foi contratado pelo governo do estado para construir sete unidades de campanha para internação de pacientes infectados pelo novo coronavírus. As entregas das unidades de São Gonçalo e Nova Iguaçu, somadas, foram adiadas nove vezes.

Em nota enviada ao UOL, a instituição informou que se reunirá hoje com a Secretaria Estadual de Saúde para encontrar uma solução "que cause menos transtornos à população".

"O Iabas e a Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro se reunirão nesta sexta-feira, às 16 horas, quando discutirão a estratégia para o enfrentamento das dificuldades criadas pela suspensão dos pagamentos imposta pelo TCE [Tribunal de Contas do Estado], agravando ainda mais a dificuldade de contratação de médicos e pessoal técnico para a unidade de São Gonçalo", informou a nota.

Sobre o prazo de entrega das unidades, o Iabas disse no mesmo comunicado que as novas datas seriam definidas nessa reunião e já adiantou que a abertura de ambas pode ser comprometida.

"Na mesma reunião será discutido um novo cronograma de entrada em operação das demais unidades, que também podem ter a entrega comprometida pelo corte de recursos", disse.

Decisão do TCE

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro determinou na quarta-feira (27) que o poder executivo não realize, autorize ou permita qualquer pagamento relacionado ao contrato firmado com o instituto.

Na decisão, também foi solicitado ao Iabas que apresentasse a qualificação para cumprir o contrato, além de vários esclarecimentos.

Como resposta, em uma segunda nota, o instituto disse que "presta serviços à saúde no Brasil há 12 anos" o que o qualifica como "instituição à altura da demanda solicitada pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro".

Sobre os esclarecimentos solicitados, o Iabas respondeu que "todas as informações solicitadas pelo TCE serão encaminhadas no prazo solicitado, a contar da citação oficial da entidade".

Coronavírus