PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Velório é transmitido pela internet em SP: 'Ajuda a trazer um conforto'

Funerárias fazem velório pela internet por causa da pandemia do novo coronavírus - Arquivo pessoal
Funerárias fazem velório pela internet por causa da pandemia do novo coronavírus Imagem: Arquivo pessoal

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto

10/06/2020 22h03

A necessidade de isolamento social imposta pela pandemia do novo coronavírus vem mudando hábitos e impactando no dia a dia das pessoas. Com restrições a aglomerações, os velórios também tiveram que se adequar ao novo momento. Com o número de pessoas limitado e cerimônias mais curtas, a tecnologia se tornou uma aliada na hora de dar o último adeus.

A auxiliar administrativa Brasilina Maria Conceição dos Santos, 47, perdeu a mãe Dircy Vieira dos Santos, 74, no mês passado, vítima de um câncer no pulmão. A cidade em que mora, Votorantim, no interior de São Paulo, está com os velórios restritos a duas horas e com limite de dez pessoas por sala para evitar aglomeração devido ao avanço da covid-19 no país.

"Minha mãe estava bem e em março começou a sentir dores. Começamos a fazer exames e quando descobrimos a doença já estava em estágio avançado. Em 40 dias ela partiu. E tudo isso coincidiu com o período em que a covid-19 chegou ao Brasil e a situação começou a ficar mais séria", lembra.

10.jun.2020 - Brasilina Maria Conceição dos Santos, 47, perdeu a mãe Dircy Vieira dos Santos, 74 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Brasilina e a mãe, Dircy Vieira dos Santos
Imagem: Arquivo pessoal

Sem poder ter a presença de todos os familiares e amigos no momento da despedida, Brasilina usou a tecnologia para transmitir o último adeus àqueles que estavam longe. Por meio da plataforma da empresa que prestou serviço funerário, ela teve acesso a um link que transmitiu o velório a 60 pessoas durante as duas horas que durou a despedida.

"Eu assinei um termo de responsabilidade pelas imagens e recebi um login e senha. Um link me foi enviado e eu pude mandá-lo para todas as pessoas que queriam estar com a gente. Estamos vivendo um momento complicado. Muitos dos nossos amigos e familiares moram em outra cidade ou fazem parte do grupo de risco e não poderiam estar presentes nesse momento que é de muita dor", contou.

Segundo ela, a iniciativa inicialmente gerou desconfiança de algumas pessoas, mas ajudou no momento difícil. "É algo novo ainda. Pode parecer frio, mas ver que a pessoa está ali com você, mesmo que seja de longe, ajuda a trazer um conforto para a família e para quem está longe é a possibilidade de se despedir", acrescentou.

Empresa oferece o serviço de graça

Eduardo Gusmão Barros, diretor de uma empresa que presta serviços funerários em cidades do interior de São Paulo como Sorocaba, São Bernardo, Santo André e Votorantim, explica que a iniciativa que ganhou visibilidade com a pandemia do novo coronavírus vem sendo bem aceita pelas famílias que usaram o serviço. Segundo ele, a empresa conta com 15 salas equipadas com câmeras de alta resolução. Desde março aproximadamente 300 velórios já foram transmitidos online.

"O velório é um evento que reúne pessoas, todo mundo quer estar presente dando seu conforto à família e se despedindo da pessoa querida. Com a pandemia isso se tornou mais complicado, por isso resolvemos oferecer o serviço de forma gratuita", explicou.

Mortes por covid-19

O Ministério da Saúde recomenda que pessoas que morrem em decorrência de complicações causadas pela covid-19 sejam enterradas ou cremadas, sem que haja a realização de velório. Ainda segundo o órgão, em caso de pessoas que morrem com a suspeita da doença ou por problemas respiratórios também não é recomendado que haja velório.

Coronavírus