PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Baile de traficantes fecha rua no ES e impede PMs de chegarem ao trabalho

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória

28/06/2020 20h24

A noite de ontem, madrugada e manhã de hoje para os moradores do morro São Benedito, na região metropolitana de Vitória, no Espírito Santo, foi conturbada. Traficantes da região fecharam ruas e promoveram um baile funk clandestino a céu aberto na comunidade. A festa com mais de mil pessoas foi regada a ostentação de armas de fogo, tráfico de drogas e durou mais de 15 horas.

As principais vias do bairro, a Comandante Setúbal e a Rua do Chafariz, foram interditadas pelos organizadores do evento. O "Baile do Mandela", popularmente conhecido no estado, teria sido organizado através de grupos de WhatsApp que existem do morro. A festa aconteceu em um terreno onde ficava uma escola municipal.

Mesmo com a recomendação do Ministério da Saúde para evitar aglomeração de pessoas para diminuir a proliferação do novo coronavírus, o baile aconteceu até as 8h da manhã de hoje. Um morador cuja casa fica próxima ao terreno onde ocorria o baile gravou um vídeo mostrando o volume do som.

"Quando não é na parte de baixo é em cima, sempre tem baile. No início da pandemia os donos do morro até respeitaram, não teve festa. Mas direto eles fazem essa farra. Agora essas festas voltaram e a gente que tem que trabalhar cedo fica sem dormir e sem poder reclamar. Quem vai peitar esses caras? Todo mundo tem medo, ninguém fala nada", disse um vigilante de 34 anos, que, assim como o morador responsável pelas imagens, não quis se identificar por temer represálias.

PMs escoltados no Morro

No topo do morro existe um Destacamento da Polícia Militar onde ficam dois policiais militares por turno de 24h. A troca de serviço sempre acontece às 7h da manhã, e hoje os militares que iriam assumir o serviço foram surpreendidos com a principal via de acesso ao DPM fechada pelos traficantes.

Quem estava no destacamento não podia sair. Os militares acionaram então o reforço policial e subiram por uma escadaria onde há intensa movimentação de tráfico de drogas. Eles foram acompanhados pelos colegas de farda até o local de serviço. Essa não seria a primeira vez que eles ficam reféns do poder paralelo na comunidade.

"Não é a primeira vez que os PMs ficam encurralados assim. Lá em cima os policiais ficam em local inacessível para qualquer veículo, sendo o único acesso é pela escadaria (já que o acesso para carros estava fechahdo pelos traficantes). Se alguma coisa grave acontecer, o risco de uma tragédia é grande ali. O mais vergonhoso não é ter que subir pela escada, o vergonhoso mesmo é bandido fechando a única pista que vai até o DPM, e a polícia abrindo as pernas", afirmou, sob condição de anonimato, um PM que trabalha no local.

O Morro São Benedito faz parte do Complexo da Penha, em Vitória, que reúne seis comunidades. O cenário de terror que os moradores enfrentam no local virou algo rotineiro. Bandidos desfilam pela região com armamento de grosso calibre, impondo autoridade sob quem mora no bairro. Eles fazem vídeos e postam nas redes sociais, como esse publicado em um grupo há 15 dias e obtido pela reportagem.

Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública do Estado disse que realiza trabalho de inteligência com objetivo de identificar, com antecedência, a realização desse tipo de festa clandestina, que geralmente reúne grande quantidade de pessoas, que se colocam em risco. Após o início, a atuação policial se torna sensível, visto que pode colocar a vida de pessoas em risco.

"Portanto, é fundamental o apoio da comunidade, que pode denunciar via Disque-Denúncia 181. Recentemente a PM agiu para coibir esse tipo de evento nessa localidade e conseguiu evitar a realização. Além disso, a Polícia Civil também intimou um possível organizador, que foi identificado e prestou esclarecimentos no Departamento de Narcóticos (Denarc)", finalizou a nota.

Já a Prefeitura de Vitória disse que atua com um Comitê de Manutenção da Ordem Pública, composto pelas secretarias municipais com atribuições de fiscalização, mais a Polícia Militar, que atua para coibir excessos em qualquer tipo de evento clandestino realizado em espaço público ou privado de livre acesso, gratuito ou pago. Durante a pandemia, o município realiza fiscalizações diárias em locais com denúncia de aglomeração.

Três mil pessoas em baile de Cariacica

Na cidade de Cariacica, a PM dispersou um outro baile funk clandestino que reunia cerca de três mil pessoas. A festa acontecia no Morro do Quiabo, na região da Grande Porto Canoa. Os militares foram recebidos na madrugada de hoje com garrafadas e cadeiradas.

A polícia chegou até a festa depois de uma denúncia anônima do alto consumo de entorpecentes no evento. Para dispersar os participantes, foram disparados tiros de bala de borracha. A PM ainda conseguiu aprender entorpecentes e duas armas de fogo no local.

Duas pistolas e drogas foram apreendidas em operação da polícia em Cariacica - Divulgação/PM - Divulgação/PM
Duas pistolas e drogas foram apreendidas em operação da polícia em Cariacica
Imagem: Divulgação/PM

Cotidiano