PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Bebê de 28 dias é encontrado morto em hotel do DF; pais são detidos

Bebê de 28 dias que morreu não tinha sido registrado - Silva Júnior/Folha Imagem
Bebê de 28 dias que morreu não tinha sido registrado Imagem: Silva Júnior/Folha Imagem

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

03/07/2020 14h57

A Polícia Civil investiga a morte de um recém-nascido que foi encontrado hoje dentro de um quarto de hotel em Ceilândia, no Distrito Federal. Os pais, que são moradores de rua, foram presos. Eles tiveram o filho dentro do próprio estabelecimento.

O bebê, que tinha 28 dias, foi encontrado sem vida pelo Corpo de Bombeiros. De acordo com a Polícia Militar, a criança era prematura e estava desnutrida.

"O local estava em péssimas condições. Bem insalubre. Apuramos que o casal é usuário de droga e álcool. Tudo vai ser investigado. Mas o bebê ao invés de ganhar peso nesses dias de vida, estava perdendo. O caso deve ser considerado como maus tratos e evoluído para homicídio", disse o subtenente Eduardo Lima, do Grupo Tático Operacional 28 (GTOP 28).

Bebê ficava sozinho

Lima também informou ao UOL que o casal passava o dia tentando conseguir dinheiro para pagar as diárias e deixavam o filho no local sozinho, que fica na QNN 2. O hotel foi procurado pela reportagem, mas até agora não se manifestou.

Segundo a PM, foi o próprio pai da criança que acionou o Corpo de Bombeiros. "Na versão do pai, eles teriam acordado e viram que o bebê estava morto. Mas tudo será apurado", disse Lima.

Histórico de violência

O homem tinha histórico de violência, segundo os policiais. Um boletim de ocorrência de agressão contra a mulher já havia sido registrado. A 15ª Delegacia de Polícia, localizada em Ceilândia, investiga o caso.

A identidade do casal não foi informada - devido a lei de abuso de autoridade. O UOL tenta localizar a defesa dos pais.

Criança não havia sido registrada

Além do recém-nascido, o casal tinha uma filha de dois anos. A menina acompanhava os pais nas ruas enquanto eles pediam dinheiro. O Conselho Tutelar de Ceilândia informou que está em busca de familiares da criança. Como ninguém foi encontrado, ela será encaminhada para um abrigo.

A família, ainda segundo o Conselho Tutelar, era atendida pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Porém, o casal se mudou três meses antes de o bebê nascer para o hotel e não informou a localização. O bebê e a criança de dois anos não têm registro de nascimento. Eles também não foram ao posto de saúde para os primeiros exames e vacinas.

Cotidiano