PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias
Naja que picou estudante ganha sessão de fotos oficial e vira hit na web

Jessica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

11/07/2020 19h25

A cobra naja que picou o estudante de veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, de 22 anos, na última terça-feira, ganhou hoje um ensaio fotográfico no Zoológico de Brasília, para onde foi levada desde que foi encontrada dentro de uma caixa plástica atrás de um shopping, que fica localizado no Setor de Clubes Sul.

Após o caso ter repercussão nacional, a serpente virou um hit na internet e ganhou até uma conta no Instagram - que já tem mais de 1.600 seguidores.

Sessão de fotos

A cobra também ganhou um ensaio fotográfico do Zoológico de Brasília, onde ela está "hospedada". Ela saiu da caixa, onde estava desde quando foi recuperada, na manhã de hoje.

"A naja de monóculo está conosco desde a última quarta-feira (8) e hoje, depois da avaliação inicial, sua caixa foi aberta e ela acessou o recinto. O manejo ocorreu seguindo todos os protocolos de segurança e contou com uma equipe experiente em manejo de serpentes. No recinto, a serpente conta com uma ambientação adequada para a sua espécie com o objetivo de promover o bem-estar e a qualidade de vida até que se decida sua destinação final", disse o Zoológico.

Naja virou meme

Apelidada de "najinha", a cobra já ganhou um perfil nas redes sociais. A conta @cobranajabsb foi criada ontem e já tem mais de 50 publicações. A cobra aparece em montagens dando um "rolê" no shopping onde foi abandonada, na academia e até em um bar de Brasília. O dono do perfil, que preferiu não se identificar, disse para o UOL que o objetivo da página é fazer com que as pessoas se divirtam.

"Em meio à quarentena, o melhor remédio ainda é a risada. Memes estão em alta e o Instagram é ótimo para compartilhar esse tipo de conteúdo. Desejo melhoras ao garoto que foi picado e sucesso a cobra Nájila", disse.

Mais uma cobra encontrada

O delegado Jonatas Silva, da 14ª Delegacia de Polícia, do Gama, informou ao UOL que em operação de cumprimento de mandado de busca e apreensão na manhã hoje localizaram e apreenderam mais uma cobra do estudante. No total, são 18 serpentes que pertenciam a Lehmkul. O caso é tratado como tráfico de animais.

O animal encontrado hoje estava escondido em um apartamento no Guará II, onde também foram localizados diversos ratos que seriam criados para servir de alimento à cobra. Segundo o delegado, os animais teriam sido deixados no apartamento por um amigo de Lehmkul. O imóvel alvo das buscas estava desocupado e sob a responsabilidade de um servidor do Poder Judiciário, que foi conduzido para delegacia. A ação foi batizada de Operação Snake.

No local, havia um aviso na caixa da cobra com a frase: "Não mexa, não abra, não troque de lugar, não trisque, não esbarre. Acidentes acontecem, por isso, mantenha distância". A espécie, uma jiboia arco-íris, é autorizada em território nacional.

Já a naja que picou o estudante não é autorizada no país e pode custar até R$ 20 mil no comércio ilegal, segundo a Polícia Civil do Distrito Federal.

Jovem se recupera de picada

O jovem está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Maria Auxiliadora desde terça-feira. Ele acordou do coma na quinta. Segundo uma amiga do jovem, que preferiu não se identificar, Lehmkul conversou e agradeceu a equipe médica pelo socorro imediato. Por pedido da família, o hospital particular não divulgou o estado de saúde do estudante. Porém, a unidade afirmou que ele apresentou uma "leve melhora". A situação ainda é grave.

O UOL também apurou que o estudante está com necrose no braço e lesões no coração, causadas pelo veneno da cobra. A expectativa é que ele ganhe alta da UTI ainda hoje.

Cotidiano