PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

PM ofendido por empresário em Alphaville pede indenização de R$ 50 mil

"Você é um merda de um PM que ganha R$ 1 mil por mês, eu ganho R$ 300 mil", teria dito Ivan Storel a policiais - Reprodução/YouTube
"Você é um merda de um PM que ganha R$ 1 mil por mês, eu ganho R$ 300 mil", teria dito Ivan Storel a policiais Imagem: Reprodução/YouTube

Bruno Thadeu

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

15/07/2020 14h42

O policial militar Daniel Nascimento entrou com ação contra o empresário Ivan Storel. O PM e outros dois policiais foram ofendidos durante ocorrência na casa de Storel, em Alphaville, em Santana de Parnaíba (SP), em 29 de maio. Nascimento pede R$ 50 mil de indenização por dano moral.

Ao UOL, o jurídico do policial informou que, caso ganhe o processo, o PM doará toda a indenização para uma instituição assistencial.

De acordo com o boletim de ocorrência de 29 de maio, a polícia recebeu denúncia de violência doméstica feita pela mulher de Storel. Ela teria dito que o empresário havia se descontrolado dentro de casa e proferido diversos xingamentos após ingerir bebida alcoólica.

Uma viatura com os PMs José Edson Ferreira e Gesica Desanti esteve na residência em Alphaville. Posteriormente, os policiais pediram reforço e Daniel Nascimento foi um dos mobilizados.

De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público à Justiça, o empresário criticou a medida. "Chegou mais uns merdas agora", teria dito Storel com a chegada de outros policiais.

A abordagem foi gravada pelos próprios PMs. Na denúncia do MP ao Tribunal, o empresário insultou os três policiais presentes na ocorrência.

O PM José Edson foi ameaçado ao tentar se aproximar da porta. "Não pisa na minha calçada, não pisa em minha rua, eu vou te chutar na cara filha da puta, eu vou te chutar na cara. Não pisa na minha calçada. Você é um lixo. Seu merda", disse Storel, segundo os depoimentos.

Você é um merda de um PM que ganha R$ 1 mil por mês, eu ganho R$ 300 mil por mês. Eu quero que você se foda, seu lixo do caralho (...) Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano
Ivan Storel, em declaração relatada por policiais

Os policiais imobilizaram e algemaram o empresário, que acabou sendo levado à delegacia por desacato, injúria e resistência.

Homem xinga policial militar em Alphaville

Band Notí­cias

Ameaças durante o trajeto

No processo, o jurídico do policial que moveu a ação diz que o empresário teria feito ameaças no trajeto até a Delegacia da Mulher.

"Bradava, para que todos ouvissem, que sua condição econômica e seus contatos com os poderosos locais o alçava como um ser superior aos demais, não estando ao alcance da lei", explicou.

No vídeo na porta do condomínio de luxo, Storel aparece ao telefone pedindo ajuda a uma pessoa que chama de Marinho. "Você é secretário, vem para cá e me ajuda. Porque esse b***, esse gordo, f**, está achando que é o quê (apontando para o policial)? Por favor Marinho, vem aqui e me ajuda (supostamente o secretário de Relações Institucionais de Barueri, Marinho Trimboli Jr.)".

Ele pediu ainda para trazer outras autoridades ao local. "Marinho vem pra cá agora, traz o secretário de segurança, traz o secretário que tiver que trazer. Traz o Furlan (supostamente o prefeito de Barueri, Rubens Furlan)".

Empresário se desculpou nas redes sociais

Dois dias após ofender os policiais, o empresário gravou vídeo pedindo desculpas.

"Não quero me eximir da minha responsabilidade. Sei que vou responder por isso, sei que as consequências vão vir, mas estava na minha casa, estou em tratamento psiquiátrico, estava naquele momento sob o efeito de álcool, de remédios e aquilo me transtornou a cabeça. Eu agi de maneira injustificável, como eu nunca deveria ter agido e falado coisa que jamais faria na minha sã consciência", disse.

Ao tribunal, o jurídico do policial Nascimento diz que as desculpas dadas pelo empresário não minimizam o dano sofrido. "Apesar do 'pedido de perdão', é certo que o autor [da ação] e seus colegas foram extremamente humilhados pelo requerido [Storel] e sofreram um inegável abalo de ordem moral", alegou.

Ivan Storel ainda não foi notificado pela Justiça sobre o processo movido pelo PM. A reportagem tentou contato com o empresário, mas não conseguiu retorno.

A pedido da reportagem, o jurídico do policial comunicou:

"A compensação financeira eventualmente obtida [caso ganhe o processo] será revertida, de forma integral, à associação beneficente Rainha da Paz, que desenvolve importante projeto social na comunidade de Santana de Parnaíba. O Policial está confiante na Justiça, com a consequente responsabilização civil do agressor".

Justiça recebe denúncia do MP

Paralelamente ao processo movido pelo PM, o Ministério Público ofereceu denúncia à Justiça contra Ivan Storel. O tribunal recebeu a denúncia nos artigos 331 (desacato) e 329 (opor-se à execução de ato legal, mediante violência ou ameaça) do Código Penal.

Cotidiano