PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Sargento do exército é morta durante assalto após seu carro enguiçar, no RJ

A sargento do exército Bruna Carla Borralho Cavalcanti de Araújo foi morta ontem durante um assalto em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro - Reprodução/Facebook
A sargento do exército Bruna Carla Borralho Cavalcanti de Araújo foi morta ontem durante um assalto em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

31/08/2020 14h53Atualizada em 31/08/2020 15h41

A sargento do exército Bruna Carla Borralho Cavalcanti de Araújo foi morta ontem após seu carro enguiçar e ela sofrer um assalto na Avenida Presidente Kennedy, no município de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

De acordo com o jornal Extra, a sargento — que atuava na 21ª Brigada de Infantaria Paraquedista — estava em seu carro junto com parentes e seu marido, Angelo Henrique de Araújo, quando o veículo em que estavam enguiçou.

Angelo desceu para fazer o reparo no carro e, logo em seguida, ouviu os gritos da mulher falando que estava ocorrendo um assalto. Após os gritos da sargento, os assaltantes dispararam duas vezes em direção da militar.

A sargento, sua irmã e sobrinhos foram tirados do carro pelos assaltantes, que fugiram com o veículo. Bruna foi levada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Pilar, também em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos. Não foi divulgado se outros ocupantes do veículo se feriram na ocorrência.

Nas redes sociais, Bruna compartilhava um pouco de sua rotina até chegar no exército. "Trabalhei com várias coisas, já fui babá, trabalhei em padaria, telemarketing, fui camelô (era humilhada por alguns por vender pano de prato na rua) e etc.; passei necessidade, passei humilhação mas Deus me fez vencer." - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
"[Eu] Era humilhada por vender pano de prato, mas Deus me fez vencer", escreveu Bruna no Facebook em junho
Imagem: Reprodução/Facebook

Investigação

A Secretaria de Estado de Polícia Militar disse em comunicado enviado ao UOL que as equipes do 15º Batalhão de Polícia Militar de Duque de Caxias foram acionadas para checar "a entrada de uma mulher ferida por disparo de arma de fogo na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Pilar. Chegando ao local, os policiais constataram que a vítima não resistiu aos ferimentos".

"Informações preliminares dão conta de que o incidente teria ocorrido em uma tentativa de roubo na Av. Presidente Kennedy. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada para investigar o caso", informou a secretaria da PM.

Já a Polícia Civil confirmou ao UOL que a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense instaurou um inquérito para investigar o caso.

"A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Bruna Carla Borralho Cavalcanti de Araújo. Equipes da unidade realizam diligências para esclarecer o caso", explicou.

"Volta mana"

Barbara Borralho, irmã da vítima, se despediu de Bruna com um texto no Facebook e, no relato, compartilhou fotos de ambas junto com a família.

Tanta gente ruim nesse mundo, e infelizmente a minha baixinha foi levada injustamente. Deus como está doendo. Nunca mais ter as risadas gostosas dela e ver o seu charme de desfilar toda linda por onde passava. Parece um pesadelo sem fim. Volta mana.
Barbara Borralho, irmã da vítima

A postagem de Barbara possui diversos comentários lamentando a morte de Bruna.

"Meus sentimentos Barbara e a toda a sua família! Deus conforte seus corações e lhes dê toda força neste momento tão difícil. Que o Pai receba a Bruna de braços abertos e num lugar muito melhor do que esse em que vivemos", escreveu uma pessoa.

Cotidiano