PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Filha de Elias Maluco compartilha cartas do pai: 'Cheio de esperança'

Ele foi encontrado morto hoje na Penitenciária Federal em Catanduvas, região oeste do Paraná - AE
Ele foi encontrado morto hoje na Penitenciária Federal em Catanduvas, região oeste do Paraná Imagem: AE

Do UOL, em São Paulo

22/09/2020 20h35

Julia Fernandes, filha do traficante Elias Maluco, compartilhou no Twitter trechos de cartas que recebeu do pai nas semanas que antecederam sua morte. Ele foi encontrado morto hoje na Penitenciária Federal em Catanduvas, região oeste do Paraná.

Segundo apuração do UOL, o corpo foi encontrado com sinais de enforcamento. A causa da morte não foi divulgada oficialmente.

Julia negou que a causa da morte tenha sido suicídio: "Essa carta minha mãe recebeu essa semana! Isso é carta de alguém que tava pensando em suicídio? TODA carta dele, ele dizia que não via a hora de estar com a gente aqui fora, cheio de esperança, sempre e sempre! Só queria sair e aproveitar a família!"

Na carta em questão, Elias Maluco escreve: "Recebi sua carta, demorou mas chegou, obrigado pelas palavras, você sabe que é minha eterna namorada e tenho fé que no futuro vamos curtir um pouco os nossos netos juntos".

"Às vezes me dá uma saudade tão forte que me faz mal, mas seu marido tá firme e com esperança de dias melhores."

Em outra carta, ele diz: "Saiba que teu pai te ama e sei que um dia vai ser você que vai cuidar de mim. Só falta 6 anos para eu chegar aos 60, estou ficando coroinha".

Caso Tim Lopes

Elias ganhou notoriedade em 2002, quando participou do sequestro, tortura e execução do jornalista Tim Lopes, da TV Globo. Lopes apurava, à época, uma reportagem sobre abusos sexuais de menores de idade e tráfico de drogas nos bailes funk da Vila Cruzeiro, na Penha, zona norte do Rio.

Três meses depois, após uma operação de mais de 50 horas da polícia fluminense, ele foi detido na favela da Grota, no Complexo do Alemão. Elias se refugiou em uma casa de idosos, e não houve troca de tiros com os policiais.

Em 2005, Elias foi condenado 28 anos e seis meses de prisão, acusado de ter sido o mandante do crime. Em 2013, ele foi condenado em outra ação penal por lavagem de dinheiro.

O Depen (Departamento Penitenciário Nacional) informou hoje que o local da morte de Elias passará por perícia da Polícia Federal.

Cotidiano