PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Governo do Maranhão suspende proibição de eventos, após pressão do setor

24.jan.2021 - O secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, segura uma dose da vacina de Oxford - Divulgação/Julyane Galvão/Secretária Estadual de Saúde do maranhão
24.jan.2021 - O secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, segura uma dose da vacina de Oxford Imagem: Divulgação/Julyane Galvão/Secretária Estadual de Saúde do maranhão

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, no Recife

25/01/2021 22h13

O governo do Maranhão recuou e suspendeu a proibição de eventos que começaria amanhã e se estenderia por 14 dias, como uma das medidas de contenção ao avanço da pandemia do novo coronavírus no estado.

Na tarde de hoje, em pronunciamento, o secretário de estado da Saúde, Carlos Eduardo Lula, afirmou que a partir de amanhã a realização de todo e qualquer evento, independente do número de pessoas, estava suspensa por 14 dias. Entretanto, o secretário informou, horas depois, que por ora não vai adotar a suspensão de eventos.

Agora, a Portaria nº 55, que trata de eventos de pequeno porte em todo o estado, continua em vigor, e estão liberados eventos com capacidade de até 150 pessoas. Apesar disto, festas de Carnaval, sejam em locais públicos ou privados, estão proibidas pelo governo do Maranhão.

"Diante das manifestações do segmento de eventos, resolvemos, por ora, não adotar a medida de suspensão de pequenos eventos que se iniciaria amanhã. Dialogaremos com os envolvidos e o Ministério Público ao longo da semana para deliberar sobre o assunto", escreveu Carlos Eduardo Lula no Twitter.

Dentre as restrições anunciadas hoje pelo governo estão a redução de 50% do número de cirurgias eletivas e consultas ambulatoriais durante o período em toda rede estadual de saúde.

Ontem, o número de ocupação em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) chegou a 81,08% e de leitos em enfermaria atingiu a marca de 73,33% em unidades de saúde de São Luís e dos municípios de São José de Ribamar (MA), Raposa (MA) e Paço do Lumiar (MA), localizados na região metropolitana.

O município de Imperatriz, segunda maior cidade do interior do Maranhão, registrou a taxa mais crítica de ocupação de leitos de UTI, com 90,63% de ocupação. O governo informou que houve também aumento significativo no número de internações de pessoas com covid-19 nos municípios de Santa Inês (MA), Pinheiro (MA) e Balsas (MA).

Boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado da Saúde) divulgado hoje mostra que no Maranhão 205.621 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e 4.653 morreram em decorrência da covid-19. Atualmente, há 6.648 casos ativos da doença no estado e 194.320 pessoas se recuperaram da covid-19.

"As cidades de São Luís, Santa Inês, Pinheiro, Balsas e Imperatriz atingiram taxas críticas de ocupação de seus leitos, o que não se via há muito tempo. Dados da regulação apontam que o número de leitos solicitados, sejam de UTI ou de enfermaria, remete a dados que tínhamos no mês de junho do ano passado. O que queremos é evitar novos casos e garantir que o sistema possa atender aqueles que precisarem", disse o secretário Carlos Lula.

Aumento de casos entre os jovens

O secretário disse ter constatado que houve aumento de casos de covid-19 entre população jovem e de meia idade. A maior parte dos pacientes é do sexo masculino, entre 50 e 65 anos, com ou sem comorbidades, com estado clínico de moderado a grave, ativos no mercado de trabalho e com filhos jovens. O outro perfil é de pacientes jovens em leitos de UTI, entre 24 e 35 anos, sem nenhum tipo de comorbidade que apresentam estado clínico grave.

"Hoje, mais de 10% dos leitos de UTI do Hospital Carlos Macieira estão com pacientes que não tem 35 anos de idade em situação grave, sem comorbidade, jovens entubados. O cenário nos leva a tomar as providências que forem necessárias", reforçou Carlos Lula.

Ontem, o governador Flávio Dino (PCdoB) ressaltou que o estado ampliou a cobertura da vacinação contra a covid-19, colocando pacientes que são submetidos a tratamentos de quimioterapia, radioterapia e/ou hemodiálise no grupo prioritário desta fase da campanha. O Maranhão recebeu 48.500 doses de vacina contra o novo coronavírus da Oxford/AstraZeneca no fim de semana.

"Lamentavelmente constatamos que há, nos últimos dias, uma tendência de crescimento de casos com internação hospitalar. Por isso mesmo, adotamos uma série de providências. Fortalecemos a diretriz de ampliação da rede estadual de saúde para casos de coronavírus. Vamos entregar nos próximos dias a ampliação de leitos UTI na cidade de Imperatriz, a nova policlínica de Açailândia e mais 50 leitos no hospital Aquiles Lisboa em São Luís", informou Flávio Dino.

Festas de Carnaval proibidas

O governador do Maranhão ressaltou que estão proibidas festas de Carnaval, sejam públicas ou privadas, como também será intensificada a fiscalização do uso de máscara de proteção facial para diminuir o contágio do novo coronavírus e outras síndromes gripais, que aumentam a incidência neste período de chuvas no estado.

"Destaco a essencialidade das medidas preventivas: a suspensão das festas de Carnaval, tanto em ambientes públicos e privados, e vamos voltar a sublinhar a inafastabilidade do uso das máscaras em locais públicos, porque além de proteger contra o novo coronavírus, o seu uso ajuda a prevenir outras síndromes gripais que marcam esse período de chuvas no Maranhão", informou o governador do Maranhão.

Errata: o texto foi atualizado
O Boletim epidemiológico do Maranhão indica 4.653 mortes no estado em decorrência da covid-19, e não 6.653 óbitos, como informado anteriormente.

Coronavírus