PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

'Morreu atrás de um sonho', diz tia de vítima de acidente com ônibus no PR

Juliane Garcia morreu em acidente com ônibus na BR-376 - Arquivo Pessoal
Juliane Garcia morreu em acidente com ônibus na BR-376 Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

26/01/2021 15h26

Mãe de duas filhas, de 4 e 7 anos, a jovem Juliane Garcia, de 23, acabou perdendo a vida em busca do sonho de dar melhores condições às crianças e ao irmão, de 18 anos, portador de hidrocefalia. Ela é uma das 19 vítimas que perderam a vida ontem no acidente com um ônibus na BR-376, em Guaratuba, litoral do Paraná.

Moradora de Marapanim, de 28 mil habitantes, no interior do Pará, a viagem foi a primeira dela para outro estado. Juliane perdeu o emprego há um mês após passar dois anos como operadora de caixa em um mercado da cidade. Com o dinheiro da rescisão e FGTS, decidiu buscar oportunidades em Santa Catarina.

"Ela morreu em busca de um sonho. Viajou atrás de emprego com o namorado e a amiga do casal. No interior do Pará, a situação é muito difícil, então decidiu sair do estado em busca de melhorias para as duas filhas pequenas, o irmão e a mãe, que já é idosa. Só que infelizmente aconteceu isso. Era a primeira viagem para fora do estado, o máximo que saiu de Marapanim foi para Belém", relatou ao UOL a tia, a manicure Cassia Braga, de 38 anos.

Acidente matou 19 pessoas em Guaratuba, no PR - Divulgação/PRF - Divulgação/PRF
Acidente matou 19 pessoas em Guaratuba, no PR
Imagem: Divulgação/PRF

Juliane embarcou em Belém, na sexta-feira (22), ao lado do namorado, Anderson Mateus Barata, de 21 anos, e da amiga Gabrielly Pinto Favacho, de 21. O trio pretendia fixar residência em Itajaí, cidade portuária de Santa Catarina. Eles já haviam acertado o aluguel de um apartamento para morar.

Anderson sobreviveu, mas está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de Curitiba. Gabrielly faleceu.

"O primeiro emprego que aparecesse, iria agarrar. Foi determinada. A Juliane pretendia retornar para buscar o restante da família. Marapanim é uma cidade pequena, quase todos se conhecem, e quando acontece uma tragédia dessa, todos ficam abalados. Entramos em desespero quando soubemos pela televisão. Não encontramos a minha sobrinha nos hospitais e fomos ter notícias somente no IML [Instituto Médico Legal]", comentou a tia.

A família agora aguarda a liberação do corpo para o translado até Belém. O sepultamento acontecerá em Marapanim.

Governo do Pará vai custear translado

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), afirmou ontem que o estado atua em duas frentes para transportar os corpos das vítimas fatais do acidente. Uma trabalha no contato para obter uma aeronave cedida pela Força Aérea Brasileira (FAB) enquanto outra busca o fretamento de um avião.

"Estamos deslocando uma equipe da secretaria de segurança do estado, como também do Centro de Perícias Renato Chaves para dar apoio na elucidação e garantir a remoção ao Pará. Fiz contato com a Força Aérea Brasileira ao tempo em que também estamos dialogando na possibilidade de contratar e fretar um avião", confirmou Barbalho.

Polícia divulga lista de corpos identificados

Uma lista com nome de 15 vítimas fatais no tombamento foi divulgada hoje de manhã pela Polícia Civil do Paraná. A identificação aconteceu por meio de informações de impressões digitais em bancos de dados. Outras quatro ainda passaram pelo processo de identificação. A lista é composta pelos seguintes nomes:

  • Alexandre Costa da Cruz - 26 anos
  • Andreia Miranda dos Santos - 27 anos
  • Antonio Carlos Teixeira Lima - 41 anos
  • Carlos Henrique Da Silva Teixeira - 14 anos
  • Dailson Ferreira Pimentel - 32 anos
  • Emanuele Cristina Martins Miranda - 26 anos
  • Gabrielly Pinto Favacho - 21 anos
  • Geovanna Cristina Pacheco Pinheiro - 20 anos
  • Iracelma de Carvalho e Souza - 47 anos
  • Iranilda Carvalho de Souza - 54 anos
  • João Paulo Ferreira Santos - 19 anos
  • José Renan da Silva Souza - 18 anos
  • Juliane de Jesus Botelho Garcia - 23 anos
  • Roni Cristian Pinheiro de Almeida - 21 anos
  • Valdenilson Gurjão de Souza - 22 anos

Acidente na BR-376

Segundo a Arteris, concessionária que administra a via, o acidente ocorreu por volta das 8h30. O ônibus pertencia à empresa de turismo TC Pires da Cruz.

De acordo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o veículo seguiria para São José após a parada em Balneário Camboriú. O trânsito foi normalizado no trecho por volta das 17h20, informou a Arteris.

Além dos 19 mortos, foram registradas: 7 vítimas graves, 6 moderadas e 20 leves.

Em nota, a TC Pires da Cruz informou que o ônibus foi fretado por uma terceira pessoa, responsável pelo grupo, que também estava no veículo. O acidente aconteceu no km 668 em um local conhecido como curva da Santa, no sentido Santa Catarina.

O ônibus saiu da pista, rompeu a mureta de proteção e caiu numa ribanceira. Ainda não se sabe o que teria provocado o acidente. Investigação da Polícia Civil do Paraná aponta que o ônibus estava com falhas no freio.

Tradutor: Morreu atrás de um sonho', diz tia de vítima de acidente com ônibus no PR

Cotidiano