PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher é morta com taco de beisebol no DF; companheiro é preso

Larissa já havia sofrido agressões do jovem, que já havia sido enquadrado na Lei Maria da Penha - Reprodução/TV Globo Brasília
Larissa já havia sofrido agressões do jovem, que já havia sido enquadrado na Lei Maria da Penha Imagem: Reprodução/TV Globo Brasília

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/05/2021 09h43

Uma jovem foi morta ontem, em Itapoã (DF), após ser atacada com um taco de beisebol. O companheiro dela foi preso como principal suspeito da morte.

Larissa Pereira do Nascimento, de 22 anos, já havia sido agredida anteriormente por João Paulo de Moura Santos, de 23, segundo a TV Globo. Em abril, ele havia sido detido e enquadrado na Lei Maria da Penha, por lesão corporal, injúria, ameaça e dano qualificado contra a mulher.

Entretanto, uma audiência de custódia concedeu liberdade ao suspeito, que chegou a ser monitorado por uma tornozeleira eletrônica. De acordo com Ricardo Nogueira Viana, delegado responsável pelo caso, "eles [o casal] voltaram a conviver, em tese, normalmente", após a prisão pelas agressões.

Na madrugada de ontem, no entanto, vizinhos do casal que vivia junto na quadra 61 de Itapoã notaram indícios de violência doméstica e relataram as suspeitas à polícia. Contudo, ao chegar na casa do suspeito, os policiais foram recebidos pela mãe dele, que negou as acusações e despistou as autoridades.

Após as autoridades já terem deixado a cena, todavia, João Paulo saiu da casa de bicicleta e relatou ter assassinado Larissa com um taco de beisebol. "Um crime grotesco, abrupto", disse o delegado.

A polícia então partiu à procura do suspeito e, no início da noite, encontrou João Paulo escondido na casa do pai, onde foi preso em flagrante por feminicídio. A mãe dele também está sendo investigada por suposto envolvimento no assassinato, após ter dito aos policiais que estava tudo bem na casa do casal.

Cotidiano